O Juiz federal Sérgio Moro decidiu tomar uma atitude polêmica, que pegou muita gente de surpresa nesta quinta-feira, 25. Ele autorizou que a esposa do ex-presidente da Câmara #Eduardo Cunha (PMDB do Rio de Janeiro), a jornalista #Cláudia Cruz, tivesse de volta o documento que a permite sair do Brasil, o passaporte. A decisão tomada por Moro foi muito criticada nas redes sociais, até mesmo por grupos que o defendem. Muita gente ficou sem entender porque o magistrado já chamado de 'Super-Herói' tomou tal medida. Muitos já acreditam em uma estratégia e tentam defender o homem responsável pelo comando da maior investigação feita contra a corrupção no Brasil, a Lava-Jato. 

O Ministério Público é contra a decisão, pois acredita que Cláudia Cruz poderia sair do Brasil a qualquer momento, sendo mais difícil também para possíveis depoimentos e uma futura prisão, caso os crimes contra ela fossem aprovados e julgados.

Publicidade
Publicidade

A jornalista é acusada de receber parte da propina destinada a Cunha. Ela nega essa informação. A pedidos da Polícia Federal, a defesa da mulher de Eduardo Cunha enviou o passaporte de Cláudia para os investigadores no mês de junho. Desde então, Cruz estava impedida de deixar o país. A decisão de Sérgio Moro foi dada nesta quarta-feira, 24, pegando até mesmo a Justiça de surpresa.

Embate sobre viagens

O juiz da Lava Jato entendeu que Cláudia havia colaborado até então e que, por isso, poderia ter o passaporte de volta e sair do país, assim que bem entendesse. “Não foi decretado por este juízo medida cautelar de proibição para que Cláudia Cordeiro Cruz deixe o país.", diz um trecho do despacho do magistrado. No entanto, uma semana antes, o MPF disse justamente o contrário, falando que existem evidências que ela teria planos para se escafeder das terras tupiniquins.

Publicidade

O MPF cita contas no exterior no nome da família, o que faria com que eles conseguissem sobreviver em outra nação. O órgão disse ainda que essas contas estranhamente não foram bloqueadas até agora pela Justiça.  #Sergio Moro