A força-tarefa da Operação Lava Jato poderá finalmente incluir o ex-presidente #Lula no rol dos réus. Nesta sexta-feira (5), foi publicado um documento de 70 páginas, assinado por quatro procuradores de Curitiba, que defende a competência do juiz Sérgio Moro para julgar Lula. O Ministério Público Federal afirma que o ex-presidente "participou ativamente do esquema criminoso na Petrobras".

As investigações concluíram que Lula sabia das fraudes nas licitações da estatal, do dinheiro que ia para o "caixa 2" das campanhas eleitorais e, mais do que isso, foi beneficiado pelas empreiteiras envolvidas no esquema.

Os procuradores relatam que o próprio Lula admitiu, em depoimento à Polícia Federal, as doações eleitorais "por fora" feitas pelas empresas e que os diretores da Petrobras eram indicados a partir de acordos políticos, não sendo possível crer que o ex-presidente não estivesse envolvido.

Publicidade
Publicidade

Os indícios de que Lula cometeu os crimes de lavagem de dinheiro e corrupção estão presentes também na alegação de que o sítio em Atibaia e o apartamento no Guarujá (SP) não seriam de sua propriedade. Para a #Lava Jato, Lula ocultou o patrimônio, que está em nome de laranjas, como os sócios de seu filho Lulinha.

Também estão sob suspeita as palestras que teriam sido contratadas pelas empreiteiras investigadas na Operação. Considerando as condenações de agentes públicos e privados envolvidos no esquema de corrupção da Petrobras, o MPF sustenta a impossibilidade de desvincular os crimes cometidos por Lula daqueles apurados pela Lava Jato.

O MPF diz ainda que o esquema funcionou por pelo menos dez anos e explica que a participação de políticos de outros partidos só foi possível porque faziam parte da base de apoio ao governo federal.

Publicidade

Segundo os procuradores, uma estrutura de tamanha complexidade não poderia existir sem a participação dos representantes de maior importância dos partidos beneficiados.

Alegando parcialidade, os advogados do ex-presidente haviam pedido que Sérgio Moro saísse do caso. Agora, com a certeza de que há elementos que provam a participação de Lula no desvio de dinheiro da Petrobras, os procuradores da força-tarefa confirmam que Lula está nas mãos de Moro. #Sergio Moro