O Ministério Público Federal defende em uma manifestação de 70 páginas que o juiz federal Sérgio Moro faça o julgamento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no âmbito da Lava Jato. Em reportagem publicada nesta sexta-feira, 05, no jornal 'O Estado de São Paulo', um relatório feito pelos procuradores indica que #Lula ajudou a roubar o Brasil, pois 'participou ativamente do esquema criminoso’ na Petrobrás. O texto foi assinado no dia 08 de agosto por quatro procuradores que fazem parte da Força Tarefa que apura os desvios de #Corrupção da Petrobras. O texto deve ajudar ainda a embasar a denúncia feita contra o petista na Justiça Federal do Distrito Federal, na qual ele foi acusado de tentar obstruir o trabalho de Sérgio Moro. 

Até o momento, o documento feito pelo Ministério Público Federal é o mais forte contra Lula.

Publicidade
Publicidade

Isso porque, segundo a reportagem do 'Estadão', os procuradores conseguiram juntar provas contra o petista. Ele teria então recebido direta e indiretamente vantagens criminosas, que representam um grave delito contra a sociedade brasileira. A petição aparece depois que Lula chegou a dizer que Moro não era competente para julgá-lo. Ele chegou a enviar uma petição à Organização das Nações Unidas, a ONU, na qual pede para que o trabalho do juiz reconhecido internacionalmente fosse analisado. Nela, o companheiro da presidente afastada Dilma Rousseff diz que Moro age sem imparcialidade e que produz provas ilegais. 

Fortes suspeitas

Além das acusações do documento, o petista já era investigado por supostamente receber vantagens na compra de um Tríplex, na qual o ex-líder sindical diz não ser dono.

Publicidade

A mulher dele, no entanto, Marisa Letícia, entrou na Justiça alegando que queria R$ 300 mil investidos de volta.  Um sítio em Atibaia também teria ligação com o ex-presidente. Até pedalinhos foram encontrados com os nomes dos netos dele. O petista alega que a propriedade é de um amigo e que sua família é grande frequentadora e que isso não configura nenhum tipo de crime no Brasil.