A presidente afastada Dilma Rousseff, do Partido dos Trabalhadores (PT), estaria ameaçando dificultar a transição no poder. De acordo com o portal de notícias G1, em reportagem publicada nesta quarta-feira, 31, ela estaria ameaçando não assinar o documento que a torna deposta. Informação parecida trouxe o jornalista Cláudio Humberto, do 'Diário do Poder'. De acordo com ele, houve uma reunião tensa da legenda do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, a qual ficou concluído que salvar a petista seria praticamente impossível. Já que não tinha como ganhar a votação de forma democrática, passou-se a defender que o poder não fosse passado ao presidente em exercício Michel Temer, do PMDB. 

Segundo o colunista Cláudio Humberto, uma ala do #PT quer que ela só deixe o Palácio da Alvorada, residência oficial do presidente da república, à força.

Publicidade
Publicidade

Isso simbolizaria o símbolo de resistência da legenda que elegeu dois presidentes no país. É bom lembrar que assim que é assinada a deposição, Rousseff tem até 30 dias para concretizar sua mudança. Isso significa que ela pode deixar o espaço até o final de setembro. Em seu lugar, quem ocupará a casa oficial é Michel Temer, que já marcou um pronunciamento para esta quarta, às 20h. 

Os aliados radicais da Dilma, no entanto, não estão aceitando em uma boa perder essa batalha. O objetivo é chamar a atenção do Brasil e do mundo. Temendo que algo pior possa acontecer, a advogada de acusação e Professora de direito da Universidade de São Paulo, USP, Janaína Paschoal, pediu que os brasileiros que apoiam o #Impeachment não saiam de casa e também não entrem em provocação. Segundo ela, eventos estão sendo organizados para tentar tirar a legitimidade de todo o processo que ela diz ser constitucional.

Publicidade

Opinião divergente tem os Senadores que apoiam Rousseff. A ideia da mobilização é  deixar claro que existe um "golpe parlamentar" no país, pelo menos é o que eles acreditam. O Solidariedade para protestar contra os petistas decidiu enviar um caminhão de mudança em símbolo de protesto para ficar à frente do local.  #Dilma Rousseff