Nesta quinta-feira, 04, acabaram os trabalhos da Comissão do impeachment do Senado. A última sessão, no entanto, acabou sendo marcada, é claro, por muitas tentativas de procrastinação de representantes da presidente afastada Dilma Rousseff, do Partido dos Trabalhadores (PT) . Lindbergh Farias (#PT - Rio de Janeiro), Vanessa Grazziotin (Partido Comunista do Brasil do Amazonas) e Gleisi Hoffmann (PT - Paraná) formam a topa de choque da petista. Como era esperado, o relatório de Antonio Anastasia (PSDB) foi aprovado com grande diferença de votos contra a companheira do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. O placar foi de 14 a 5. Isso representa um prognóstico de como deve ser a votação final, que reúne os 81 Senadores. 

Mesmo após a derrota já sabida, a Senadora Vanessa Grazziotin ainda tentou conseguir mais uma vez um pedido de ordem, que podia fazer a sessão se estender por mais alguns minutos.

Publicidade
Publicidade

O presidente da sessão, Raimundo Lira (PMDB), no entanto, acabou não aceitando o pedido e disse que a sessão já estava encerrada e que era apenas preciso esperar os próximos trâmites legais. Enfurecida, Gleisi defendeu a colega comunista e disse que Raimundo Lira estava a serviço dos comunistas. Ela pediu que Vanessa tivesse a oportunidade de falar, pois seria muito importante para todo o processo. 

Não teve jeito. Raimundo mandou que desligasse o microfone de Gleisi, mas ela ainda assim continuou gritando sozinha, enquanto os demais Senadores saiam da sala. Logo em seguida, ele mandou que a TV Senado encerrasse a transmissão ao vivo da comissão e que os funcionários do Congresso apagassem as luzes. "Mas com ela aqui ainda?", questionou um dos trabalhadores. Raimundo apenas balançou a cabeça afirmativamente e foi embora.

Publicidade

Não tendo muito o que fazer, a mulher do ex-Ministro do Planejamento do governo Lula, Paulo Bernardo, acabou fazendo o mesmo e saindo do local.

Para que a deposição de Dilma tenha efeito são necessários pelo menos 54 votos. A previsão é que a votação contra ela aconteça até o fim desse mês.  #Dilma Rousseff