Nesta semana, começou a circular um vídeo que mostra o ditador cubano, Raul Castro, praticamente declarando guerra ao Brasil. Ele participava na inauguração do 'VII Cumbre de Las Americas', quando decidiu fazer um discurso polêmico de defesa à presidente afastada Dilma Rousseff, do Partido dos Trabalhadores. Assim como o marketing que tem sido usado pela esquerda em nosso país, o ditador de #Cuba chama o processo de impeachment sofrido por Dilma de "golpe parlamentar" da direita. O político parece realmente nada feliz como o fato do presidente em exercício, Michel Temer, do PMDB, acabar ocupando temporariamente o posto mais alto do governo brasileiro.

Publicidade
Publicidade

Por isso, ele diz que é necessário que se ajude ao que ele chama de restabelecer a democracia no Brasil. Raul Castro pede em seguida a ajuda das nações bolivarianas, conhecidas justamente por terem problemas de entender o que é democracia. Raul, por exemplo, assumiu o posto do irmão, Fidel, simplesmente porque esse quis. Não houve qualquer tipo de eleição e a família Castro domina o governo cubano há décadas, apenas agora fazendo alguma abertura com os Estados Unidos. Quem vai às cidades cubanas percebe como esse tipo de política prejudicou a população, que parece estar vivendo presa ao passado. É uma raridade ver, por exemplo, um carro que não tenha mais de vinte anos de uso nas ruas de Havana, mesmo depois da abertura com o país ainda governado por Barack Obama.

O tem usado por Raul Castro em seu discurso é ameaçador.

Publicidade

Ele pede uma espécie de ocupação para ajudar o Brasil e Dilma. Para muita gente, a declaração foi praticamente de anúncio de uma guerra. A depender do governo brasileiro, isso não vai acontecer. Maior país do bloco na América do Sul, o Brasil continua ditando as regras e romper as relações com ele é um mau negócio. Até mesmo a Venezuela de Maduro já entendeu isso.

Veja abaixo o discurso feito pelo ditador cubano que está dando o que falar nas redes sociais e mostra como a esquerda se comporta após a derrota:

#Militares