Durante os cinco minutos concedidos ao senador Ataídes de Oliveira (PSDB-TO), o político aproveitou para falar de forma objetiva, sobre a sua visão do governo da presidente afastada, #Dilma Rousseff.

Antes do senador começar a falar, Dilma havia se defendido e dito, mais uma vez, que é vítima de um golpe parlamentar, pois está sendo acusada por conta de apenas três decretos suplementares, segundo ela, criados em respeito ao princípio constitucional e administrativo da legalidade. Ataídes então começou sua fala dizendo, em tom de ironia, que o diabo vive nos detalhes, em referência às explicações de Dilma sobre os ‘detalhes’ das acusações.

O político rebateu as críticas de Dilma e apresentou sua conclusão sobre os crimes fiscais cometidos pelo governo.  Ataídes, assim como todos os senadores do PSDB, votam pelo #Impeachment da presidente afastada.

Publicidade
Publicidade

Argumentos da defesa de Dilma

Muitos dos senadores que defendem Dilma Rousseff, manifestaram argumentos distintos para justificar o processo do impeachment. Para a senadora Gleisi Hoffmann, uma das principais defensoras do governo de Dilma, o impeachment é uma farsa arquitetada pelo PMDB por meio de Eduardo Cunha e Michel Temer.

Vanessa Grazziotin, afirmou que o impeachment foi ‘comprado’ pelo PSDB, que por sua vez, comprou a advogada e professora de direito penal, Janaína Paschoal. O comportamento da senadora, inclusive, resultou em uma repreensão de Ricardo Lewandowski.

Lindbergh Farias, apresentou uma série de ‘acusados’ pelo impeachment, segundo sua própria concepção, incluindo a elite brasileira e a rede Globo de televisão. Regina Sousa reforçou a tese do golpe e atribuiu a decisão de iniciar o processo, ao preconceito contra Dilma, devido ela ser mulher.

Publicidade

Fátima Bezerra dedicou sua fala a elogiar a presidente afastada e acusar os opositores de golpistas.

Após o jantar, por volta das 21h, Dilma Rousseff já estava perdendo a voz, uma vez que já fazem mais de doze horas que começou o seu depoimento e interrogatório. A previsão de término é de, aproximadamente, meia noite. Lewandowski pediu para reduzirem a temperatura do ar do plenário e trazerem um chá para melhorar a voz da presidente afastada. #Senado Federal