O juiz Sérgio Moro, responsável pelas investigações da Operação Lava Jato em primeira instância, recebeu uma homenagem histórica do Exército Brasileiro nesta quinta-feira, 25. A homenagem aconteceu no Quartel General das Forças Armadas, em Brasília, a pouco quilômetros do Senado Federal, onde começou oficialmente o julgamento da presidente afastada Dilma Rousseff, do Partido dos Trabalhadores. Sérgio Moro recebeu a maior honra para um civil, a 'Medalha do Pacificador'. A comenda foi dada em um dia histórico para a entidade, o 'Dia do Soldado', quando as escolas deixam de ter aula em muitas regiões do país. 

A honra foi dada para Sérgio Moro pelo seu trabalho  brilhante durante a Operação Lava-Jato, além de ajudar o Brasil contra os corruptos.

Publicidade
Publicidade

Em dois anos de investigações, o magistrado virou uma espécie de "super-herói" das ruas, sendo responsável também, de certa maneira, pela deposição de Dilma. Isso porque por conta da Lava Jato diversos nomes do governo dela foram descobertos em negociatas corruptas. Isso enfraqueceu politicamente a companheira do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Não demorou muito para que os políticos do país decidissem se virar contra a primeira mulher eleita do Brasil. 

A condecoração dada ao juiz federal acontece para pessoas e instituições que dão orgulho notório ao Brasil. Além do jurista, outras 300 pessoas foram condecoradas nesse ano com a medalha. No entanto, a presença de Moro, sem dúvidas, era a mais esperada. Lembrando que nesse ano o paranaense já tinha recebido o prêmio de uma das 100 personalidades mais influentes do mundo pela revista americana Time.

Publicidade

Em entrevista a jornalistas, Sérgio comentou mais essa homenagem na carreira. Segundo ele, é muito bom ter o reconhecimento de todas as entidades importantes que formam o estado brasileiro, como é o caso do Exército. 

Exército. Na solenidade, o juiz foi atração entre o público e também entre outros homenageados, que cercaram o juiz para tirar fotos e parabenizá-lo pela Lava Jato. #PT #Dilma Rousseff