Nesta quarta-feira, 17, durante um pronunciamento feito à noite, o Ministro das Relações Exteriores do Brasil, José Serra, do PSDB, dez um dos mais duros ataques ao governo ditatorial da Venezuela na história. Em depoimento transmitido ao vivo pela NBR, Serra deixa claro que o governo de Nicolás Maduro está promovendo uma grande ditadura e revelou que a Venezuela deu um "golpe" ao entrar no maior grupo econômico da América do Sul, o Mercosul. O tucano revelou que o país não cumpria os requisitos para participar do bloco econômico e que isso também não foi feito a longo prazo. O descumprimento, segundo Serra, aconteceria até mesmo através da quebra de Direitos Humanos. 

O Ministro das Relações Exteriores deu certeza que o país governado por Maduro não presidiria o Mercosul e que o Brasil faria tudo o que era possível para isso.

Publicidade
Publicidade

Ele ainda fez uma ameaça ao fato de Maduro não aceitar largar o poder, avisando que está apoiando a oposição daquele país, que pede um referendo para tirar o presidente do governo de esquerda. Segundo Serra, com Maduro no poder esse referendo seria uma fraude, já que seria facilmente manipulável, como tudo o que ocorre naquele país. Ele disse ainda que o país que apoia a presidente afastada Dilma Rousseff, do Partido dos Trabalhadores (PT), teria presos políticos e que não seria nada democrático. 

O Ministro dá exemplos de como a Venezuela é ditatorial, citando o fato de presos existirem apenas pelo fato de darem sua opinião. Ele ainda lembra a grave crise que passa aquele país, revelando que hoje faltam 95% de remédios nas farmácias do país governado por Maduro. Além disso, a população local estaria passando fome.

Publicidade

"Ao nosso ver todos os países democráticos do mundo devem pressionar o governo venezuelano para fazer um referendo que mude os rumos do povo", lembrou ele, que ainda contou que chegou a oferecer ajuda humanitária para Maduro, mas que ele teria recusado.

Veja o vídeo em que o Ministro das Relações Exteriores ataca o governo da Venezuela:

#José Serra #PSDB