Após a Organização dos Estados Americanos (#OEA) pedir explicações do Brasil quanto ao processo do #Impeachment, acusado por defensores do antigo governo de ser um ‘golpe de Estado’, o ministro das relações exteriores, José Serra, decidiu rebater o órgão com soberania.

Para Serra, o documento enviado pela OEA é ‘besta’ e ‘mal feito’ e o Brasil não tem obrigação de responder nada, uma vez que quem emite as respostas é o Congresso, em referência ao fato de ser o Senado que decidirá o veredito final do processo de impeachment de #Dilma Rousseff.

A Organização dos Estados Americanos só emitiu uma notificação ao governo brasileiro, dia 16 de agosto, após parlamentares do Partido dos Trabalhadores (PT) protocolarem uma liminar junto a OEA, com a finalidade de suspender a tramitação do processo do impeachment.

Publicidade
Publicidade

A decisão dos aliados do antigo governo foi tomada após perderem, pela segunda vez, uma votação no Senado, o que levou a presidente afastada para o julgamento por 59 votos favoráveis e apenas 21 contrários.

José Serra ainda salienta que a OEA deveria ter dirigido sua notificação ao Congresso Nacional e não ao executivo, pois não foi o governo quem iniciou ou deu continuidade ao processo do impeachment. Além disso, reforçou que toda a tramitação do processo respeita os preceitos constitucionais, além de ser fiscalizado pela instância máxima do Estado, o STF, de forma que alegações sobre um suposto ‘golpe’ são pura ‘bobagem’.

A declaração de José Serra aconteceu durante o lançamento da campanha ‘Be Brasil’ (Ser Brasil, traduzido do inglês), que visa promover a venda de produtos nacionais no exterior.

Publicidade

Serra trabalhará para mostrar para outros países a qualidade dos produtos brasileiros, em especial os agrícolas e para isso, contará com o apoio de embaixadas e consulados brasileiros espalhados pelo mundo.

Após a declaração de Serra, ainda não houve uma manifestação oficial dos parlamentares que protocolaram a liminar na OEA, ou do próprio órgão internacional. O início do julgamento de Dilma Rousseff será na próxima quinta-feira, 25.