A atriz Susana Vieira, que apresenta o 'Vídeo Show' na Rede Globo de Televisão, decidiu passar por cima da emissora e protestar publicamente contra a corrupção no Brasil. Ao lado de nomes como o cantor Fagner, a atriz Luana Piovani e o ator Victor Fasano, Susana decidiu apoiar o juiz federal Sérgio Moro, que ficou conhecido em todo o país por conta de seu trabalho na investigação da Operação Lava-Jato. O protesto a favor do magistrado foi realizado nesta segunda-feira, 08, na sede da Justiça Federal, em Curitiba, no Paraná. O cantor Fagner chegou a fazer uma música em homenagem ao homem que ganhou o prêmio de uma das personalidades mais influentes do planeta pela revista Time. 

Opinião de atriz

Moro é considerado o terror dos políticos.

Publicidade
Publicidade

O ex-presidente Luiz Inácio #Lula da Silva, por exemplo, decidiu enviar uma petição até à Organização das Nações Unidas, na qual diz que o magistrado atua usando esquemas ilegais para dizer que ele comete crimes. Além disso, o companheiro político da presidente afastada Dilma Rousseff, do Partido dos Trabalhadores (PT), questiona a capacidade do juiz em julgá-lo. Em entrevista a jornalistas, a atriz #Susana Vieira disse que estava ali para defender o juiz que pode virar alvo da ONU por conta do pedido de Lula. 

"Então, meu amor, se ninguém sabe, nós estamos defendendo a integridade dele. A nossa cara tá junto do Moro. Eu acho que é isso. E a nossa grande preocupação é que as coisas mudem", contou a contratada da TV Globo, que já havia feito inúmeras manifestações contra a presidente Dilma e a favor do impeachment.

Publicidade

Ela e outros artistas chegaram a integrar o chamado 'MoroBloco', fazendo uma referência à festa de Carnaval e ao magistrado da Lava-Jato.

Além de dar total apoio ao homem que pode colocar Lula e companhia na cadeira, os artistas disseram que o protesto era a favor das 10 medidas de combate à corrupção propostas pelo Ministério Público Federal (MPF). O texto do órgão público foi assinado por mais de duas milhões de pessoas e agora é analisado pela Câmara dos deputados.  #Sergio Moro