O ex-presidente Luiz Inácio #Lula da Silva disse aos seus companheiros nos últimos meses, que não quer em nenhum momento cair nas mãos do juiz federal Sérgio Moro e para isso lutará até os últimos recursos disponíveis. Procuradores do Ministério Público possuem várias provas de que Lula chefiava o esquema de corrupção da Petrobrás, que ganhava propinas de suas palestras e de que com a ajuda da família e amigos ocultou as propriedades de um triplex no Guarujá e um sítio em Atibaia. 

Ação arriscada

Pensando em ter seus processos analisados e julgados pelo STF e não por Moro, Lula decidiu tomar uma ação arriscadíssima: pedir ajuda para Dilma.

Publicidade
Publicidade

A presidente afastada, em comum acordo com Lula, decidiu nomeá-lo para ministro da Casa-Civil em seu governo, com isso o ex-presidente teria foro privilegiado e poderia se safar das mãos de Sérgio Moro.   

Porém tudo foi feito com muita pressa e isso foi confirmado em interceptação telefônica que a Polícia Federal flagrou. A presidente afastada Dilma disse a Lula que enviaria um assessor com o termo de posse para Lula assinar e tudo ser feito o mais rápido possível, antes mesmo da cerimônia de posse. Essa gravação, por decisão do STF, não pode ser julgada por ter sido colhida após término de decisão do juiz, mas uma outra questão levou a Justiça a ficar atenta com os atos de Lula e Dilma: foi publicado no Diário Oficial da União, em edição extra, o comunicado de nomeação de Lula, o que irritou a oposição dizendo que isso afronta os direitos republicanos.

Publicidade

Era uma forma de Lula ter foro especial e seus processos não serem julgados por Moro.

Pesadelo

Dilma está vivendo nessa reta final do impeachment um grande pesadelo. A Corte Suprema abriu inquérito onde Dilma, Lula e outros ex-ministros petistas serão julgados. Fora do cargo, se oficializando o afastamento de Dilma, ela pode ser presa por tentativa de obstrução à Operação Lava Jato, pois ela não teria mais o foro privilegiado.

Enquanto isso, Lula busca ajuda internacional, através da ONU, dizendo ser vítima de perseguição e criticando a Justiça brasileira. #Dilma Rousseff #Sergio Moro