O presidente em exercício Michel Temer, do PMDB, decidiu contra-atacar. Ao saber que Dilma Rousseff, após ser afastada do cargo, irá ao Senado Federal para fazer sua defesa re responder perguntas, o peemedebista decidiu chamar os chamados petistas ou 'nem lá, nem cá' para conversar. Nesta terça-feira, 23, segundo informações do 'Diário do Poder', haverá uma reunião com indecisos e ex-Ministros do governo da primeira mulher eleita do Brasil. Um dos que estará presente, segundo a reportagem, é Edison Loban, filiado ao PMDB do Maranhão, além de outros parlamentar. A ideia de Temer é criar um clima de confiança, união e de diálogo para entender o que todos pensam sobre o tema e encontrar um caminho para seguir em frente. 

Um dos Senadores que preocupa o marido de Marcela é Roberto Rocha, também do Maranhão, mas eleito pelo PSB.

Publicidade
Publicidade

No placar do #Impeachment elaborado pelo jornal 'O Estado de São Paulo', ele aparece com indeciso em causar a deposição ou não de Rousseff. Outro que estará na reunião é o colega de Roberto, o Senador maranhense João Alberto Souza, do PMDB. Ele já havia votado pelo prosseguimento do impeachment. No entanto, durante o voto, indicou que não acreditava que a petista tenha mesmo cometido um crime.

Ele preocupou a muitos dizendo que mudou o voto por questões políticas. O peemedebista disse que na hora certa dará a resposta que os brasileiros tanto esperam. Basta saber qual essa será e a quais brasileiros ele se refere. 

Posição de interino para se resguardar

O PMDB tomou cuidado ao pedir posição aos seus aliados na primeira fase do impeachment no Senado. No entanto, depois que a saída de Dilma já parece acontecer de "lavada", todos querem fazer uma espécie de "negociata" com Temer e não ficar do lado dos perdedores.

Publicidade

Michel, mesmo tendo uma margem de pelo menos cinco votos a mais do que o mínimo necessário para derrubar Dilma, decidiu ouvir todos os nomes dispostos a conversar. 

O político decidiu ainda antecipar o seu primeiro pronunciamento à nação. Esse acontecerá assim que Dilma perder "a cabeça".  #PT #Dilma Rousseff