No próximo domingo, dia 21 de agosto, está marcada a Cerimônia de Encerramento das Olimpíadas Rio 2016 no Estádio do Maracanã, local que também foi o palco da abertura no último dia 5 de agosto. Segundo reportagem do jornal Folha de S. Paulo, Temer está com receio que venha uma nova vaia e fragilize sua imagem, já que o Senado deve votar o processo de #Impeachment do mandato de #Dilma Rousseff.

Na Cerimônia de Abertura, o presidente até tentou, e inclusive não teve seu nome mencionado durante a cerimônia por duas vezes em que o protocolo exigia, mas, no momento em que declarou que estava aberto os Jogos Olímpicos, a plateia não perdoou e deu uma vaia.

Publicidade
Publicidade

Nos últimos dias, diversas manifestações contra o presidente Temer tem sido registradas, tanto dentro como e fora dos locais onde acontecem as competições olímpica. Até tentaram coibir esses tipos de manifestações, mas a Justiça se posicionou contrária, e, diante dessas negativas, o #Governo resolveu desistir de insistir em proibir as manifestações para não aumentar o desgaste da imagem.

Para justificar a ausência, o Itamaraty disse que não é comum o comparecimento de chefes de estado na cerimônia, e que o protocolo necessário é do prefeito da cidade-sede, nesse caso o do Rio de Janeiro, passar a chave para a próxima cidade-sede, que será a cidade de Tóquio, a capital do Japão, a qual receberá as Olimpíadas em 2020.

Uma das grandes autoridades que estará presente nessa cerimônia é o primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe.

Publicidade

A equipe de Temer agora está avaliando como fazer o encontro entre os dois, cogita-se que o presidente poderá vir ao Rio de Janeiro apenas para encontrá-lo.

Segundo a própria reportagem, Temer já manifestou interesse de participar da cerimônia de abertura dos Jogos Paraolímpicos aos seus assessores e auxiliares, que irá acontecer no dia 7 de setembro, pois nessa data ele não teria o que temer, pois o processo de impeachment já teria sido julgado pelo Senado Federal.

Vale ressaltar que Temer não foi o único a ser vaiado em grandes eventos. Durante a cerimônia de abertura da Copa das Confederações, em 2013, e da Copa do Mundo da FIFA, em 2014, a presidenta Dilma Rousseff foi vaiada. Em 2007, aconteceu aqui no Brasil os Jogos Pan-Americanos, e o então presidente da República Lula não escapou das vaias do público.