A assessoria de imprensa do Palácio do Planalto informou na noite da última segunda-feira (15) que o presidente interino, Michel Temer, não estará presente na Cerimônia de Encerramento das #Olimpíadas do Rio de Janeiro. O evento acontecerá no próximo domingo (21), no Maracanã, palco da Cerimônia de Abertura dos Jogos, quando o interino tomou um sonora vaia ao tomar a palavra para declarar o início dos Jogos Olímpicos. A explicação para a ausência de Temer é o receio de um desgaste desnecessário nos dias que antecedem a votação final do processo de impeachment.

A assessoria informou a imprensa que o presidente interino, em momento nenhum, cogitou comparecer a cerimônia de encerramento porque, segundo informou, é de praxe que o prefeito da cidade sede, nesse caso, Eduardo Paes, passe a "chave" dos Jogos Olímpicos para o representante presente da nova cidade sede, Tóquio, no Japão, que sediará o evento em 2020, não sendo necessária a presença do presidente - interino - do atual país sede. 

Existe a expectativa que o presidente interino compareça a Cerimônia de Abertura da Paralimpíada, no dia 7 de setembro.

Publicidade
Publicidade

Segundo os assessores, a previsão é que na abertura das Paralipíadas o processo de impeachment já tenha se encerrado e Temer não deverá mais ter receio de rejeição ou desgaste.

Essa será mais uma oportunidade que os presentes terão para soltar aquela vaia contra o interino caso achem necessário.

Cerimônia de Abertura

Vale lembrar que #Michel Temer foi um caso a parte na Cerimônia de Abertura dos Jogos Olímpicos no último dia 5 de agosto. De início, o protocolo determinava que as autoridades presentes tivessem os nomes anunciados, pelo menos era o que constava no protocolo divulgado a imprensa. Porém, para a surpresa de todos, inclusive de Fernando Meirelles, responsável pela organização da cerimônia, que declarou que a omissão do nome do interino foi um pedido do seu staff, Temr não foi anunciado. 

A única participação do interino foi no "discurso", se assim pode ser dito, de abertura dos Jogos.

Publicidade

O peemedebista falou por não mais do que 10 segundos e tomou uma sonora vaia da multidão presente no Maracanã. 

Presidentes encararam vaia

Diferente de Temer, que irá "fugir" das vaias, o ex-presidente Lula e a ex-presidente Dilma encararam de frente as vaias dos opositores. Ainda em 2007, quando o Brasil recebia seu primeiro grande evento - posteriormente vieram a Copa do Mundo e os Jogos Olímpicos - no Pan-Americano, o ex-presidente Lula foi vaiado durante sua fala. Já a presidente Dilma foi vaiada duas vezes. Em 2013, na Copa das Confederações, e, em 2014, na abertura da Copa do Mundo.

Última semana

Deixando um pouco de lado a política e tratando sobre o esporte em sim. A segunda semana dos Jogos Olímpicos tradicionalmente são melhores para o Brasil, é quando os esportes em equipe entram em suas fases decisivas e os brasileiros aumentam suas chances de medalhas. Tanto o futebol, vôlei e handebol seguem nas disputas no masculino e feminino. A decepção ficou por conta do basquete, que foi eliminado nas duas categorias ainda na primeira fase.  #Dentro da política