O presidente em exercício Michel Temer, do PMDB, teria solicitado para que o Ministro da Saúde, Ricardo Barros, corrigisse uma declaração feita à imprensa brasileira, na qual ele dizia que homens vão menos ao médico por trabalharem mais que as mulheres. A declaração foi criticada até pela filha do Ministro, que disse que ambos trabalham igual, mas que a mulher muitas vezes tem uma dupla jornada, precisando cuidar da casa e dos filhos. Em nota, Ricardo Barros disse que foi mal interpretado e que as mulheres cuidam das tarefas domésticas e trabalham fora. Não é a primeira vez que o Ministro da Saúde provoca polêmica por conta de uma má comunicação.

Publicidade
Publicidade

Ele chegou a insinuar que os pacientes "inventavam" doenças. 

“Quero deixar claro que eu me referia ao número de homens no mercado de trabalho, que ainda é maior”, diz um trecho da nota divulgada nesta sexta-feira, 12, pelos principais veículos de comunicação do país. O Ministro diz ainda no texto que as mulheres sempre acabam dando um jeito para cuidar da saúde, mesmo cuidado da família e da casa. De acordo com ele, a campanha da saúde do homem se espelhará na capacidade que as mulheres tem de fazer várias coisas. 

Até a filha reclamou através da web

A filha do Ministro, a deputado estadual do Paraná, Maria Victoria Borghetti Barros, foi uma das que o criticou. Em um vídeo publicado na internet, a representante do Partido Progressista (PP) disse que pesquisas indicam que as mulheres trabalham cinco horas em média por semana a mais do que os homens.

Publicidade

Ela também reiterou a questão da jornada dupla, ainda muito comum entre as mulheres. A fala de Ricardo foi realizada nesta quinta-feira, 11, quando o representante da saúde disse que o governo criaria estratégias para convencer o homem a ser atendido pelo Sistema Único de Saúde, o SUS. 

Na ocasião da fala, o gestor da pasta disse que acredita que isso aconteça por hábito, já que segundo ele, a maioria dos homens são provedores da saúde e, por isso, não teriam tempo para a saúde preventiva.  #sistema de saúde #Michel Temer #PMDB