O presidente em exercício Michel Temer, do #PMDB, não quer dar margem ao erro. De acordo com informações da coluna 'Radar', da Revista Veja, em nota publicada nesta terça-feira, 23, o peemedebista decidiu esboçar o seu primeiro discurso já como presidente efetivo. A ideia agora é que o pronunciamento seja gravado e exibido poucas horas depois da votação que pode terminar com a deposição da presidente afastada Dilma Rousseff, do Partido dos Trabalhadores. Antes, esse discurso aconteceria no 'Dia da Independência' do Brasil, o famoso 7 de Setembro, mas já sabendo que sua antecessora usaria a imprensa para falar que foi vítima de um "golpe parlamentar", #Michel Temer decidiu se antecipar.

Publicidade
Publicidade

Irritado com o discurso de que o processo de impeachment, previsto na Constituição, seria ilegal, ele agora quer focar no que já mudou em 100 dias de governo. As pesquisas mostram um mercado animado e boas prospecções pelos próximos seis meses. Temer, no entanto, terá que ser rápido. O medo dos famosos panelaços devem fazer o seu primeiro pronunciamento, visto como histórico, ter, no máximo de cinco a seis minutos. É claro que isso é pouco tempo para falar tudo o que é necessário. No entanto, avalia-se que os brasileiros precisam conhecer melhor a cara do presidente, desconhecido pela maioria ainda. 

Temer afirmará que foi eleito pela maioria e contará a 'Herança Maldita' deixada por Dilma. Contas a pagar em diversos Ministérios e até a difamação do Brasil no exterior para defender o companheiro político de Rousseff, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, serão apenas alguns dos muitos pontos que serão lembrados.

Publicidade

A imprensa ainda aguarda uma definição de quanto tempo demorará a votação no Senado Federal, prevista para acontecer apenas no dia 30, para definir como será a cobertura. O que já se tem certeza é que o dia mais movimentado promete ser o 29, a próxima segunda-feira. 

Nesta data, Dilma tentará fazer o seu último apelo contra a deposição, dizendo que os brasileiros pedem novas Eleições.