Neste sábado, 27, acontece o terceiro dia do julgamento do impeachment de Dilma Rousseff. Durante o período da tarde, após o senador Cristovam Buarque ter o direito de fala, o presidente do Supremo e responsável por presidir o julgamento, Ricardo #Lewandowski, se equivocou e o chamou de ‘Cristóvão Colombo’.

A gafe foi entendida com bom humor entre os colegas presentes na Casa, inclusive por Cristovam e por Lewandowski. O senador, sorrindo, agradeceu Lewandowski pelo ‘upgrade’ e ainda disse: " V.Ex.ª, se quiser, pode me chamar de Cristovam Colombo Buarque de Hollanda", mantendo o clima descontraído na sessão.

Assista ao vídeo desse momento:

 

Dia exaustivo para a defesa e a acusação

Após três dias de discussões, os senadores e até mesmo Lewandowski, estavam visivelmente exaustos.

Publicidade
Publicidade

O sábado não foi marcado por grandes discussões, como aconteceu nos dois últimos dias, quando Gleisi Hoffmann acabou gerando confusão com os colegas ao afirmar que ninguém tinha moral para julgar Dilma, e que desencadeou no dia seguinte, um mal estar com Renan Calheiros, que acabou falando de quando a senadora precisou do mesmo para conseguir a liberdade de seu marido, Paulo Bernardo, preso durante investigações da Polícia Federal.

O objetivo inicial da fase de julgamento, era ouvir as testemunhas de defesa até o início da madrugada de sábado, 27, suspendendo os trabalhos e retornando na segunda-feira, 29, quando Dilma Rousseff será interrogada pelos senadores e advogados. Entretanto, as discussões calorosas da última sexta-feira, 26, atrasaram as oitivas e Lewandowski deixou algumas testemunhas para serem ouvidas hoje.

Publicidade

A sessão desse sábado começou por volta das 9h da manhã e segundo acordo apresentado por Lewandowski aos senadores, as oitivas devem se estender por mais ou menos três horas, devendo se encerrar entre 21h e 22h. Os senadores farão uma pausa para o jantar as 19h.

Se não houver nenhum imprevisto, o Senado almeja chegar ao veredito final, através da votação decisiva dos senadores, até a próxima quarta-feira, 31. Entretanto, atrasos não são descartados. #Julgamento do Impeachment #Impeachment