No início da tarde dessa quinta-feira, 4, o juiz federal Sérgio Moro, esteve presente em uma audiência pública da #Câmara dos Deputados, onde discursou para os parlamentares da Comissão Especial de Combate à Corrupção.

O juiz falou sobre a corrupção no Brasil, defendeu o fim o foro privilegiado e comentou as dez medidas contra a corrupção, que foram apresentadas pelo Ministério Público Federal e serão discutidas na Câmara, devendo tornar-se lei, se aprovada no Senado, até dia 9 de dezembro.

No decorrer da sessão que contou com a presença de Moro, alguns parlamentares falaram sobre a corrupção, mas um deles em especial, o deputado Paulo Pimenta (PT-RS), acabou se alterando quando decidiu ‘confrontar’ o juiz com a suposta ilegalidade na condução coercitiva de Lula, em março desse ano, e as gravações das ligações pessoais do ex-presidente.

Publicidade
Publicidade

Pouco depois de encerrar o discurso, o deputado federal #Eduardo Bolsonaro (PSC-SP) elogiou a Operação Lava Jato e parabenizou o juiz pela condução das investigações, onde deixou claro que a força tarefa da polícia federal não é a responsável pela atual crise política do Brasil, mas que a mesma conseguiu abrir os olhos dos brasileiros que têm pago a conta pelos atos de políticos corruptos.

Para destacar a reclamação de Pimenta, que falou da exposição que Lula sofreu, Eduardo salientou que se alguém não quiser ter uma vida pública, que não siga carreira política. Após encerrar sua fala, o deputado, que também é policial federal e advogado, foi aplaudido pela maior parte das pessoas presentes no plenário.

Sérgio Moro se absteve de falar sobre as reclamações do parlamentar do PT do Rio Grande do Sul e encerrou a sua participação na sessão com agradecimentos, dentre eles, ao deputado Eduardo Bolsonaro.

Publicidade

Confira o vídeo desse momento:

Objetivos da Comissão Especial de Combate à Corrupção

A comissão deve dedicar os próximos três meses para discutir as 'Dez Medidas Contra a Corrupção'. As referidas medidas foram propostas pelo Ministério Público e as discussões sobre a mesma reunirão autoridades do MPF, Polícia Federal e a justiça, além dos parlamentares da comissão. O objetivo é tornar as medidas uma realidade até o dia 9 de dezembro, dia internacional de combate à corrupção. #Sergio Moro