Nessa sexta-feira (09), o presidente Michel Temer nomeou Grace Mendonça para ocupar o cargo de advogada-geral da União no lugar de Fábio Medina que foi demitido do cargo, também nessa sexta-feira. A notícia foi publicada no Diário Oficial da União, logo no início da tarde. Grace Mendonça agora é a primeira ministra a integrar um cargo de confiança do primeiro escalão do #Governo Temer. De acordo com a assessoria da AGU (#Advocacia Geral da União), a mineira nascida no município de Januária, será a primeira mulher a ocupar o cargo em toda a história da AGU.

Por meio de nota, o Palácio do Planalto informou à imprensa sobre a saída de Fábio Medina.

Publicidade
Publicidade

A nota também confirmou que havia sido enviado um convite à Grace Mendonça, que é servidora do órgão desde 2001. No texto publicado, #Michel Temer agradeceu os serviços que foram prestados por Fábio Medina a AGU e também afirmou que Medina é um competente advogado.

Formada em Direito pela Associação de Ensino Unificado do Distrito Federal, Grace também é especialista em Direito Processual Civil. Como já foi dito, está na AGU desde 2001 e atuava como Secretária- Geral de Contencioso, um cargo importante, pois ela atuava como uma representante da União junto a corte maior do país que é o Supremo Tribunal Federal.

Decisão de demitir Medina teria sido tomada após discussão

De acordo com o canal GloboNews, a decisão de demitir Fábio Medina teria sido tomada após uma discussão entre Medina e o atual ministro chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha.

Publicidade

A discussão teria ocorrido nessa quinta-feira (08). O canal também afirmou que o agora ex-ministro teria sido informado de sua demissão, por telefone em ligação feita pelo próprio presidente Michel Temer.

Um dos pontos que causaram o desentendimento entre Medina e Padilha teriam sido as declarações feitas pelo ex-comandante da AGU a imprensa, na qual ele afirmou ter a intenção de unir a AGU com a Operação Lava Jato para que houvesse uma maior facilidade nas investigações de esquemas de corrupção feitos por políticos.