O ministro da Justiça e Cidadania, Alexandre de Moraes, levantou polêmica ao declarar: "Esta semana vai ter mais", comentando sobre o cumprimento das diligências referente à próxima fase da Operação Lava Jato. Nem precisa comentar, mas a repercussão foi imediata, pois, a operação investiga o maior escândalo de corrupção instalado dentro da Petrobras, além do que, são várias as autoridades políticas envolvidas no esquema fraudulento.

Entenda como ocorreu

O ministro da Justiça Alexandre de Moraes esteve em São Paulo neste último domingo para participar e prestigiar o candidato Duarte Nogueira, que concorre à prefeitura de Ribeirão Preto pela próxima eleição.

Publicidade
Publicidade

Em meio ao discurso, junto aos amigos, de forma descontraída, Moraes foi questionado sobre as expectativas com relação à Operação Lava Jato, afinal, nada melhor do que saber do próprio ministro da Justiça quais serão as novas estratégias de operação.

Moraes não se poupou em responder que "semana que vem, vai ter mais", argumentando que alguma movimentação vinculada à #Lava Jato seria realizada a partir desta segunda-feira (26). Coincidência ou não, mas o ministro acertou. Logo pela manhã foi divulgada pela imprensa nacional a 35ª fase da operação que cumpria várias diligências, como três prisões temporárias, entre elas estavam a do ex-ministro da Fazenda e da Casa Civil, Antônio Palocci, dos Governos Lula e Dilma. Além disso, foram efetivados os mandatos de condução coercitiva e os mandatos de buscas e apreensões.

Publicidade

Entretanto, resta saber se a versão de Alexandre de Moraes foi simplesmente de "força de expressão" ou o ministro teve acesso a uma informação privilegiada, ou seja, soube com antecedência? O mal entendido gerou uma enorme polêmica, pois a operação Lava Jato em decorrência de seu alto grau de complexidade foi resguardada com o selo de Segredo de Justiça, pelo então ministro Teori Zavascki, do Supremo Tribunal Federal (STF), também relator da operação.

Seja lá qual for a versão original para o ocorrido, o fato é que determinada situação foi questionada durante toda a segunda-feira, principalmente, pela base de oposição ao #Governo Temer, que por sua vez, fez questão de criticar o dirigente-chefe da pasta da Justiça, esclarecendo que vão representar junto ao STF sobre a ineficiência e reprovação da atitude do ministro. #Michel Temer