Nem sempre uma derrota é apenas uma derrota. O ex-Ministro da Justiça e advogado de defesa da ex-presidente Dilma Rousseff, do Partido dos Trabalhadores (PT), agora pode virar candidato da legenda. O nome do advogado passou a ser visto como um dos favorecidos da legenda do ex-companheiro Luiz Inácio Lula da Silva, especialmente agora em que a sigla partidária ameaça ter uma debandada. Em plena eleição municipal, muitos nomes foram embora, enquanto outros podem perder os cargos ou não serem reeleitos. 

Depois que chorou durante uma entrevista coletiva, reclamando de Janaína Paschoal, José agradou muito a militância petista, que viu ele como um "homem de coração", defendendo a causa por realmente acreditar nela.

Publicidade
Publicidade

De acordo com informações do site 'Diário do Poder' em matéria publicada neste domingo, 04, o nome de Cardozo passou a ser um dos preferidos para disputar o governo de São Paulo. O medo do #PT é que aos poucos o grupo petista diminua cada vez mais.

Por isso, já se trabalha no convencimento para colocar ele como um dos possíveis nomes para a disputa da região mais especial para a política brasileira. Além de mais populoso, o estado de São Paulo é o mais rico, fazendo com que esse tenha forte impacto com o governo federal, o que é visto como crucial para o grupo.

Depois de perder o #Impeachment, o advogado chegou a pegar um voo, no qual foi aplaudido pelos passageiros. “Eu não tenho a menor vontade de continuar na vida política”, teria dito o jurista, que tenta se convencido a mudar de ideia.

Publicidade

A parte boa vista pela sigla que surgiu com a força dos movimentos sindicais é que a insatisfação popular com Dilma não pegou em seu advogado, algo visto como verdadeiramente marcante. 

Atualmente, em São Paulo, o governo continua sendo chefiado pelo PSDB, agora na figura de Geraldo Alckimin. A prefeitura está a cargo de Fernando Haddad, que nas pesquisas não aparece nem mesmo com força eleitoral para ir ao segundo turno. A rejeição do político é grande, especialmente na política de transportes.  #Dilma Rousseff