Nessa quarta-feira, 14, procuradores do MPF se reuniram e deram uma palestra elucidativa sobre a nova denúncia contra #Lula. Com o auxílio de uma apresentação de slides, o procurador Deltan Dallagnol explicou como funcionava o esquema de corrupção que envolve o ex-presidente da república.

Deltan mostrou que todos os meios ilícitos do esquema de corrupção e lavagem de dinheiro levam até Lula como ponto central, tornando-o como um “comandante máximo” da corrupção. O procurador também afirmou que Lula recebeu mais de R$3 milhões em propina através de contratos da OAS.

No decorrer da fala de Deltan, é afirmado que o esquema de corrupção da Petrobras, conhecido como Petrolão, subtraiu R$6,2 bilhões, mas que o prejuízo real gerado para a empresa nacional de petróleo é estimado em R$42 bilhões.

Publicidade
Publicidade

Apesar do elevado valor, Deltan afirma que o Petrolão era apenas parte de um “quadro muito maior de corrupção”. O esquema investigado foi chamado de propinocracia, que consiste em um governo movido por propinas.

O MPF entende que tanto o Mensalão, quanto a #Lava Jato, investigaram um mesmo esquema formado pelo mesmo governo e que foi criado para perpetuar o PT no poder de forma criminosa, possibilitando o enriquecimento ilícito. Além disso, o procurador também revelou que o esquema de corrupção não envolvia apenas a Petrobras, mas também a Caixa Econômica Federal, a Eletrobras e os ministérios da saúde e planejamento.

O #Ministério Público Federal pede uma indenização de R$87,6 milhões que deve ser paga aos cofres públicos por Lula e a OAS. Dallagnol também disse que possui “catorze conjuntos” de evidências contra o ex-presidente.

Publicidade

A denúncia aguarda decisão da justiça para tornar Lula réu. Os autos não possuem um pedido de prisão.

Lula foi denunciado por lavagem de dinheiro e corrupção passiva, mas também poderá ser denunciado, posteriormente, por organização criminosa, uma vez que essa investigação encontra-se sob poder do Supremo Tribunal Federal.  Em sua defesa, Lula nega ser o dono do tríplex do Guarujá e disse que nunca chegou a dormir no local. O ex-presidente também repudiu a denúncia contra ele e sua esposa, Marisa Silva.

Abaixo segue o vídeo com os esclarecimentos do procurador federal: