O mal-estar sofrido por #Flávio Bolsonaro (PSC), no debate da Band, no Rio de Janeiro, com candidatos à prefeitura da capital carioca, ainda reverbera nas redes sociais. Primeiro, porque a candidata à prefeitura pelo Partido Comunista Brasileiro, #Jandira Feghali, acusa o deputado #Jair Bolsonaro de fascista, por, supostamente, não tê-la deixado atender o seu filho, quando estava passando mal, ao vivo. O detalhe é que, naquele momento, ela era a única médica que se encontrava presente no debate. A comunista conta que, quando partiu para ajudar Flávio, logo o seu pai partiu para cima dela e a impediu de prestar os primeiros socorros ao candidato do PSC à prefeitura do Rio.

Publicidade
Publicidade

“Eu fiquei assombrada, porque eu já conhecia o seu ódio contra a esquerda. Mas o filho estava passando mal e ele deixou o filho para lá para brigar comigo”, contou a defensora dos ideais de Karl Marx. Ela seguiu afirmando, em sua rede social, Twitter, que seria inadmissível de ver um pai negar a ajuda de outra pessoa, enquanto o seu próprio filho está passando mal. Jandira afirmou que esse tipo de atitude estaria provando que o deputado, defensor da direita, não teria consideração a Flávio: “O ódio e o fascismo dele estão acima do amor ao próprio filho”, detonou a candidata.

No entanto, por outro lado, a assessoria de imprensa que cuida da agenda de Flávio soltou nota afirmando que ainda é muito cedo para tomar um posicionamento com relação a esse caso, porém, eles dizem, na própria nota, que o filho de Bolsonaro está muito grato pela ajuda que recebeu quando passou mal e caiu, no debate da Band.

Publicidade

Eles contam que, naquele dia, o candidato do PSC à prefeitura do Rio de Janeiro teve uma intoxicação alimentar que, inclusive, acometeu também em um dos seus assessores:

O comunicado fez agradecimento as duas pessoas que socorreram Flávio Bolsonaro em um primeiro momento, Osório e Jandira, “pelos gestos de solidariedade ao socorrê-lo”. No mesmo dia, a TV Bandeirantes do Rio de Janeiro emitiu uma nota, através de sua rede social, o Facebook, que o candidato Flávio Bolsonaro não estava em condições de voltar ao debate, e, portanto, eles seguiriam sem ele.