Em uma sessão geral realizada no plenário da Câmara dos Deputados nessa quarta-feira (14), o deputado federal #Jair Bolsonaro (PSC-RJ), mais uma vez, foi o pivô de uma confusão generalizada. A #confusão novamente envolveu a deputada Maria do Rosário (PT-RS), que presidia a sessão, juntamente com convidados. Durante a sessão, que visava debater a questão da “cultura do estupro”, Bolsonaro se exaltou e perdeu o controle, começando a gritar e a exigir direito de reposta após a vice-presidente da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil), Daniela Teixeira, defender a condenação do deputado no processo ao qual responde acusado de fazer “apologia ao estupro” durante uma discussão.

Publicidade
Publicidade

Após receber a crítica da vice-presidente da OAB na tribuna, Bolsonaro ficou fora de controle. Começou a gritar e a reação instantânea que teve foi a de subir a mesa e começar a gritar com a presidente da sessão, Maria do Rosário. O descontrole do deputado foi tanto que ele teve que ser contido por um dos deputados que estavam na mesa próxima a Maria do Rosário, o deputado Patrus Ananias (PT-MG).

Ao final do debate, a vice-presidente da OAB pediu proteção de seguranças para deixar o Congresso, pois afirmou que estava se sentindo ameaçada pelo deputado.

Assista ao vídeo completo da confusão ocorrida na tarde dessa quarta-feira no #Congresso Nacional.

Processo de Jair Bolsonaro

Jair Bolsonaro já é réu no Supremo Tribunal Federal. Processo esse que foi elaborado pela deputada Maria do Rosário.

Publicidade

Toda a confusão envolvendo os dois foi iniciada em 2003 após um bate boca, na ocasião, Bolsonaro disse que “não estupraria a deputada porque ela não merece”. Em 2014, Bolsonaro novamente fez ataques a petista durante uma comissão instaurada para discutir os crimes do período da ditadura militar. Durante a discussão, novamente Bolsonaro citou a frase que foi considerada apologia ao estupro: “eu só não estupro você, porque você não merece”.

Caso seja condenado no STF, Bolsonaro deverá cumprir pena de 3 a 6 meses e terá que arcar com uma multa.