O candidato do #PSDB à Prefeitura de #São Paulo, João Dória, deu entrevistas à Rádio Bandeirantes, nesta quarta-feira (21) e revelou que doará todo o seu salário de prefeito para instituições, caso seja o vencedor nas eleições de São Paulo. O salário é de R$ 24 mil mensais e durante os quatro anos de mandato, Dória estaria abrindo mão de mais de R$ 1 milhão.

De acordo com o candidato, ele já tem dinheiro suficiente para viver toda a sua vida sem precisar trabalhar e esse gesto seria espelhado no ex-prefeito de Nova York, Michael Bloomberg. 

Bloomberg foi prefeito de Nova York por 12 anos e possui uma fortuna de US$ 31 bilhões.

Publicidade
Publicidade

Em seus três primeiros mandatos, o ex-prefeito de Nova York chegou a gastar 650 milhões do próprio bolso, principalmente quando precisava viajar de jatinho e helicóptero. Simbolicamente, Bloomberg recebeu apenas US$ 1 enquanto esteve atuando como prefeito da cidade.

João Dória quer seguir o mesmo exemplo e essa decisão dele será divulgada em sua campanha pelo rádio e pela TV, nos seus programas eleitorais.

Segundo o candidato à Prefeitura de São Paulo, esse esforço de doação de salário vai melhorar a sua vida com seus amigos e com toda a cidade.

Privatização e PT

João Dória sempre criticou o Partido dos Trabalhadores (PT), mas revelou que na "esfera de negócios", a relação com o PT sempre foi diferente. "Sempre tratarei as pessoas com respeito, não importa o partido que elas defendam", disse Dória.

Publicidade

O setor de privatização às vezes é mal interpretado pelas pessoas, mas é a melhor forma de redução de custos, diz o candidato.

"Vida limpa"

O tucano disse que possui uma trajetória de "vida limpa" e todos os seus trabalhos sempre foram feitos com responsabilidade e dignidade. "Sei que terei algumas despesas a mais, mas posso suportar e seguirei exemplo de Michael Bloomberg, ao doar salário para instituições", comentou o tucano.

Uma das formas do candidato se acalmar é através de orações, disse ele. 

Criticado pela candidata Marta Suplicy, Dória disse que ela nunca gerou empregos e não sofre com a carga tributária, ou seja, não sabe como funciona uma atividade empresarial.