Recentemente, surgiu nas redes sociais a informação de que o deputado #Marco Feliciano (PSC) teria abusado de uma jovem militante do seu partido. Em seguida, a própria garota, Patrícia Lélis (22), fez um vídeo afirmando que não era verdade, mas, em seguida, a garota fez a denúncia na Justiça de que um assessor do político, Talma Bauer, estaria a chantageando para permanecer calada em troca de dinheiro.

Logo a jovem foi até a polícia fazer a denúncia. Em seguida, Feliciano, ao lado de sua mulher, também fez um vídeo pedindo aos seus seguidores que esperassem o desfecho da investigação. Ontem (6), a polícia civil de São Paulo pediu a prisão preventiva de Patrícia, por ela ter mentido e caluniado nesse caso.

Publicidade
Publicidade

A acusação à jovem envolve, além da suposta mentira, uma acusação de extorsão, já que, de acordo com o delegado Luiz Roberto Hellmeister, do 3º Distrito Policial (DP), Patrícia teria se encontrado com Talma Bauer e tentado extorquir dinheiro de Marco Feliciano, em troca de seu silêncio. “Pedi a prisão porque ela destrói as pessoas que estão ao seu redor. Não só agora como no passado, quando apontou um inocente como estuprador em Brasília.”, disse o delegado, em entrevista exclusiva para o portal G1.

“Ela representa risco à sociedade por mentir e causar danos a diversas pessoas”, continuou o oficial. Antes, Lélis já havia feito uma acusação de que Talma Bauer, chefe de gabinete, tentou acobertar o caso, na mesma denúncia, ela também citou que Marco Feliciano teria a abusado sexualmente.

A polícia já está analisando um vídeo onde mostra a jovem jornalista em uma conversa com o assessor do deputado, Talma.

Publicidade

No bate-papo, o assunto envolve um suposto pagamento de R$50 mil à Lélis. No entanto, Patrícia partiu para cima do chefe de gabinete de Feliciano, acusando-o de estar a mantendo em cárcere privado, e, principalmente, por também ter forçado a jovem a gravar um vídeo onde ela defende deque nunca teria acontecido nada entre ela e o deputado além de uma saudável amizade.

No entanto, até esse momento, a polícia está agindo de modo a acreditar que o que a jovem jornalista disse possa ser uma mentira, por isso, foi feito o pedido de prisão preventiva da moça. #Patrícia Lélis