Geddel Vieira Lima, atual ministro da Secretaria do #Governo, falou abertamente sobre a atualidade política nas redes sociais, detonando os petistas e garantindo que a sensação de governar sem eleições é “gostosa”. Tal como informa o site “Huffpost Brasil”, o polêmico político não poupou as palavras, revelando que as conversas que têm com os petistas acabam animando o seu “domingo pacato”. Os comentários chocantes do ministro rapidamente se tornaram virais e envergonharam muitos brasileiros, sobretudo aqueles que estavam contra o #Impeachment de #Dilma Rousseff.

Com Michel Temer como o novo presidente da República até 2018, as questões sobre a legitimidade da sua governança são colocadas por políticos, jornalistas e a grande maioria dos brasileiros, que pretendem que novas eleições sejam marcadas imediatamente, revelando que um presidente não eleito pela votação do povo é um atentado à democracia.

Publicidade
Publicidade

Ainda assim, e apesar da enorme discussão que esse assunto está provocando no Brasil, um dos novos ministros de Temer, Geddel Vieira Lima, conhecido por ser muito polêmico em todos seus discursos, abordou o assunto de uma forma muito honesta e direta, surpreendendo seus seguidores ao garantir o quão “gostosa” é a sensação de governar sem voto do povo, respondendo a uma questão que teria sido levantada por um internauta, tal como informa o site “Huffpost Brasil”.

Além da confissão chocante, o ministro da Secretaria comentou os esforços de petistas nas manifestações recentes e do fato de ter sua página sempre com muitos comentários negativos. “Oxi, tá daltônico”, questionou Geddel Lima quando questionado sobre as cores das manifestações petistas.

A conversa com seus seguidores acabou envergonhando e revoltando muitos brasileiros que não deixaram passar a observação feita por um dos ministros mais importantes do atual governo brasileiro.

Publicidade

Na verdade, apesar de muitos brasileiros estarem satisfeitos com a destituição de Dilma, eles pedem que haja, o mais rapidamente possível, eleições antecipadas, tentando ao máximo restabelecer a ordem democrática e governativa de um país que tem vivido uma enorme crise política nos últimos meses.