Com a cassação do deputado federal e ex-presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB), o clima em Brasília não está nada bom no Planalto Central. Isso porque, minutos após ser revelado que o parlamentar havia sido deposto de seu cargo, por 450 votos a favor a 10 contra, Cunha decidiu falar que irá "abrir o bico" a respeito de pessoas envolvidas no esquema da Operação Lava Jato e disse que não irá sair da casa legislativa em silêncio.

O peemedebista desbafou, em entrevista coletiva  para a imprensa, que a culpa é de #Michel Temer (PMDB), colega de partido que hoje está presidindo o Brasil. O antigo vice de Dilma Rousseff (PT) ganhou o cargo dela após patrocinar o impeachment da petista, acusada de crime de responsabilidade por permitir a abertura de créditos suplementares sem autorização do Congresso.

Publicidade
Publicidade

Hoje, a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) permite esse ato administrativo por parte do Executivo.

Cunha também culpou o Partido dos Trabalhadores, que se empenhou na campanha do "Fora Cunha" nas ruas e na internet. Durante seu discurso no plenário da Câmara, ele chegou a falar que o país deveria agradecê-lo por "livrar" o Brasil do PT.

Apesar do ex-deputado ter negado fazer um acordo de delação premiada e ter uma pena mais branda, caso seja comprovada participação dele em esquemas ilícitos, a novidade é que ele afirma ter "boa memória de todos os diálogos" que teve nos últimos anos com pessoas ligadas ao Poder. Um dos alvos do parlamentar cassado seria o próprio governo Temer, que o "abandonou" durante o processo que lhe tirou o mandato.

"Eu culpo o governo hoje, não porque o governo tenha feito algo para me cassar, mas quando o governo patrocinou a candidatura do presidente que se elegeu, em acordo com o PT, o governo de uma certa forma aderiu à agenda da minha cassação", confessou o peemedebista para jornalistas que estavam no Congresso Nacional.

Publicidade

Para o ex-deputado, a chegada de Rodrigo Maia no poder foi um acordo entre o Partido dos Trabalhadores e Temer, que queriam o fim de seu mandato.

Pela internet, muitas pessoas se mostraram a favor da cassação de #Eduardo Cunha. Pelo Twitter, uma mulher comentou que "é tudo farinha do mesmo saco. Temer e Cunha são traidores da República". #Câmara dos Deputados