De acordo com matéria veiculada nesta manhã pelo Estadão, sentindo "abandonado", o deputado cassado #Eduardo Cunha já teria começado com as ameaças.

Segundo a publicação, Cunha teria dito a amigos que se ele contar tudo o que sabe, pode "derrubar o governo". Ele sente que foi "largado à própria sorte" pelo Palácio do Planalto e ameaça dar o troco.

Cunha sondou seus aliados sobre votação

O ex-deputado teria reunido, há duas semanas, seus aliados na Câmara. Em uma reunião em sua casa, ele queria sondar os deputados ajudados por ele, se iriam traí-lo. Dos mais de cem que ele tinha como aliados, pelo menos 90 disseram que votariam pela cassação.

Publicidade
Publicidade

Um dos participantes da reunião não teria gostado da traição e teria dado um recado: "Preparem os capacetes porque vai chover canivete."

Se Eduardo Cunha começar a falar, leva muita gente junto com ele

Dossiês contra os adversário, cheio de riquezas de detalhes - esse é o conhecido talento de Cunha. Além, é claro, de saber "dar o seu recado", prova disso é que ele fez chegar ao Planalto a informação que que está disposto a envolver Moreira Franco, secretário executivo do PPI - Programa de Parceria e Investimentos e amigo de #Michel Temer, além de ser sogro do novo presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, em acusações de irregularidades na Caixa Econômica Federal.

É claro que o medo está tomando conta de quem pode ser levado junto com Cunha. Tanto que alguns de seus aliados perguntaram, às vésperas da votação, sobre os seus destinos e se Cunha lembrava de todas as articulações que foram promovidas tanto para ajudar colegas quanto para prejudicar rivais.

Publicidade

Em resposta, Cunha teria dito que lembra de todos que estavam, do cardápio e até mesmo do vinho que tomaram, mostrando que realmente tem uma boa memória e que, se preciso for, fará uso dela.

Planalto silencia sobre cassação de Eduardo Cunha

Nenhum comentário sobre a cassação de Cunha saiu do Palácio do Planalto. Há, inclusive, a informação de que interlocutores de Temer minimizaram a possibilidade de delação premiada, além de terem feito chacota sobre a fala de Cunha, de que escreveria um livro contando como aconteceu todo o processo de impeachment. "Será muito interessante" e "serão vários volumes", teriam sido os comentários dos interlocutores. #Cassação Eduardo Cunha