Nessa quarta-feira ocorreu a última fase do julgamento do impeachment de Dilma Rousseff que, consequentemente, perdeu o mandato de presidente da República por 61 votos favoráveis a 20 contrários. Entretanto, Lula ficou extremamente insatisfeito e, conjuntamente com a ex-presidente, acusou Temer e o ex-presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, de serem os responsáveis pela traição. 

Logo quando ficou sabendo da derrota de Dilma, #Lula convocou aliados próximos e militantes de movimento de rua para criarem uma oposição eficiente, impossibilitando qualquer tipo de acordo com o novo Governo. A articulação já não é mais novidade, pois, a ex-presidente Dilma já havia retrucado, em seu primeiro discurso após a confirmação da interrupção do mandato, que Temer e a sua equipe são um "bando de corruptos", citação confirmada pela equipe do site de notícias "Blastingnews", nesta quinta-feira. 

Em conversa com o presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, Lula ministrou a ideia de constituir um bloco com uma oposição fortalecida dentro do Senado Federal, inclusive, alertou Lupi da liderança em que ficará sob sua responsabilidade.

Publicidade
Publicidade

O petista encontra-se inconsolável e pretende, a qualquer custo, desafiar, principalmente os peemedebistas da linha de frente, ou seja, os líderes. O petista, com sentimento de esperança, tenta o possível para que a sua popularidade não despenque pelos últimos acontecimentos. Lula promete voltar, sendo ele candidato ou com outro candidato de sua confiança, para concorrer às eleições 2018. 

Entenda o que pode ocorrer 

A publicação do jornal "Folha de S. Paulo" revelou que, antes, o Partido dos Trabalhadores (PT) estava direcionado à defesa da então presidente afastada Dilma, mas, agora, as atenções se viram para as próximas eleições e garante ao novo candidato, o posto da Presidência da República. A reportagem esclarece que foram discutidas hipóteses para o lançamento do ex-parlamentar Ciro Gomes como futuro Chefe de Estado.

Publicidade

O cearense já possui popularidade e apresenta-se muito bem entre os outros concorrentes, ou seja, é um candidato muito significativo, exceto por um detalhe, afirmou o líder do PDT, o temperamento de Ciro é muito forte, mas nada que não seja tolerável. 

No mesmo contexto, Lula comunicou à cúpula do PCdoB indicando que se faça o posicionamento oficial e convoquem todos os aliados para a reunião marcada após o feriado de sete de setembro. Ademais, a presidente do PCdoB, Luciana Santos, já aceitou de pronto a proposta exclamando que foi uma ótima ideia a antecipação da aliança, além do que, os candidatos mencionados, para ela, são de alto nível para concorrer em 2018. #Dilma Rousseff #Impeachment