Delcídio do Amaral optou pela delação premiada e revelou que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva era o comandante da quadrilha que montou um esquema de corrupção dentro da Petrobras. A denúncia feita em março deste ano acaba de ser formalizada, pois, na quinta-feira (1º), o ex-senador deu um depoimento em que revelou que #Lula pegou as diretorias da Petrobras e as distribuiu com os políticos a ele aliados desde que eles lhe dessem apoio no Congresso. Foi uma troca que acabou resultando em uma maior facilidade para a administração PT.

Ainda de acordo com Delcídio, Lula não só ficou responsável por cuidar pessoalmente de todos os detalhes desta distribuição de diretorias, como também tinha pleno conhecimento dos partidos políticos que estavam cobrando propina das empreiteiras, além de usarem o dinheiro arrecadado em suas campanhas eleitorais.

Publicidade
Publicidade

A ação coordenada do governo buscava assim o apoio necessário, vindo a pagar com propinas que eram obtidas através dos contratos superfaturados que eram fechados dentro da Petrobras.

Delcídio foi um dos líderes não só no governo de Dilma Rousseff, mas também de Lula. Ao depor para o procurador Januário Paludo, fez questão de pontuar que suas revelações foram um "divisor de águas".

Outra grande revelação do ex-senador é que em 2005, quando o "Mensalão" foi descoberto, Lula precisou buscar novas formas de organizar a base para não sofrer um impeachment, e foi aí que ele permitiu que a corrupção aumentasse ainda mais na Petrobras, para satisfazer o PP e também o PMDB. Ainda de acordo com as informações fornecidas por Delcídio do Amaral, Lula foi o presidente que mais usou a Petrobras para se dar bem politicamente e até despachava com os diretores da companhia.

Publicidade

Delcídio foi flagrado em 2015, no mês de novembro, quando tentou convencer Nestor Cerveró, que já foi diretor da Petrobras, a ficar calado e não aceitar uma delação premiada para não comprometer o ex-presidente Lula.

Além de Lula, revelou Delcídio, Dilma também tentou barrar a "Operação #Lava Jato", sendo que o petista já foi indiciado por lavagem de dinheiro, falsidade ideológica e também por corrupção ativa, enquanto Dilma está na mira da Polícia Federal. #Petrolão