O ex-senador Delcídio do Amaral prestou depoimento à Polícia Federal, nesta quinta-feira (01), e formalizou a sua denúncia feita, em março deste ano, contra o ex-presidente Luiz Inácio #Lula da Silva. Delcídio explicou como Lula fazia as negociações em troca do apoio dos políticos no Congresso. Lula fornecia cargos na estatal, cuidava de todos os detalhes da divisão dos postos e estava ciente de que os partidos usavam dessas diretorias para cobrarem propinas das empresas, com o intuito de financiar suas campanhas políticas. 

O ex-senador falou tudo ao procurador da Operação Lava Jato, Januário Paludo. De acordo com Delcídio, haviam nichos de #Corrupção dentro da Petrobrás, até quando foi descoberto o "Mensalão", em 2005.

Publicidade
Publicidade

Para fugir e escapar do impeachment, Lula se desesperou e resolveu abrir as portas da estatal para vários partidos, principalmente  PMDB e PP.

"Lula foi o presidente que mais usou a Petrobrás", disse Delcídio. Todos os despachos de Lula com os diretores aconteciam pessoalmente e ao defender uma política de conteúdo nacional, o ex-presidente ia contra a suposta privatização requerida pelo PSDB. Assim, desta forma, Lula não colocava a estatal como um instrumento de campanha eleitoral.

Envolvimento de Dilma

O ex-senador também acusou Dilma Rousseff de tentar "atrapalhar" e "frear" a Operação Lava Jato e ela se tornou alvo de um inquérito da Polícia Federal.

Grave revelação 

Uma outra revelação feita por Delcídio e que está sendo investigada, é o envolvimento do ex-ministro José Eduardo Cardozo.

Publicidade

Segundo o ex-senador, Cardozo vazava informações sigilosas para os diretores das estatais alvos da PF. O ex-ministro detalhava aos empresários os rumos que as investigações policiais estavam seguindo e isso fazia com que eles se preparassem para possíveis depoimentos.

Os advogados do ex-senador preferem não comentar este caso, que pode se tornar um grande escândalo e poderia complicar muito mais a situação dos petistas.

Lula continua afirmando que é inocente e divulga ao máximo para a imprensa mundial que está sendo vítima da Justiça Brasileira. #Petrobras