O presidente Michel Temer recolheu imediatamente do Congresso Nacional a Lei que concederia ao Chefe de Estado, a liberdade para realizar a doação de três aeronaves de modelo Tucano – T-27 para o continente africano, mais precisamente, à Força Aérea de Moçambique.

A decisão de doar as aeronaves foi única e exclusivamente da ex-presidente Dilma Rousseff. Parlamentares petistas alegaram que a atitude seria uma forma de parceria comercial com Moçambique, na África.

O assunto em março do ano passado teve bastante repercussão, pois, foi objeto de questionamentos entre o ex-ministro da petista que naquela época defendia a pasta da Defesa, Celso Amorim e os representantes do governo africano, em Maputo.

Publicidade
Publicidade

Nesta quarta-feira (31), o presidente Temer recebeu as honrarias referentes ao cumprimento de posse que assume em definitivo a presidência da república do Brasil.

Logo após ser condecorado, conforme publicação da revista "Época", o presidente Michel exclamou: "Finalmente se estabeleceu a segurança da continuidade", e continuou: "Para prosseguirmos no trabalho de recolocar o Brasil nos trilhos", afirmou a revista.

A cerimônia organizada por Renan Calheiros, presidente do Senado Federal, foi bem simples, e apesar de atender um pedido de Temer, o parlamentar insistiu para que fosse realizada uma cerimônia mais íntegra.  

O atual presidente da República demonstrou preocupação. No momento em que acontecia a votação em que ficou confirmada a sua posse, Temer chegou a ressaltar que ficou surpreso com a aceitação dos parlamentares presentes, mas finalizou: "Quase rasgaram meu terno!".

Publicidade

Em contrapartida, o presidente reconhece as dificuldades que o país atravessa e sabe das responsabilidades que deve enfrentar nos próximos dois anos e quatro meses, período esse, que finaliza seu mandato.

Mas o novo Chefe de Estado propõe a sua equipe ministerial a pacificação do Brasil, pois, "agora se intensificaram as cobranças" e ainda argumentou que: "O governo trabalhará para unir os brasileiros", arrematou Temer.

Michel, agora como presidente da República, permanece até o dia 05/09 reunidos no país asiático, mais precisamente em Xangai, na China, participando do encontro do G20, ou seja, reunião que permite a presença do grupo das maiores economias do planeta. Esse é o primeiro compromisso internacional de Temer que acolhe os desafio de tentar trazer investidores chineses ao Brasil, em companhia de Henrique Meirelles (Ministro da Fazenda), explora a confiabilidade no país. #Dilma Rousseff #Impeachment #Michel Temer