O presidente Michel Temer, do PMDB, e o seu novo governo estão fazendo um enorme levantamento sobre tudo o que aconteceu na gestão da ex-presidente Dilma Rousseff, do Partido dos Trabalhadores (PT). Não demorou muito para o grupo descobrir que a petista tinha muitas "mordomias". Algumas vistas como extremamente exageradas. O jornal 'O Estado de São Paulo', por exemplo, revela através de uma recente reportagem, que a petista tinha incríveis trinta e quatro motorista à sua disposição. Isso apenas na residência oficial da presidente, o Palácio do Alvorado, que agora está desocupado. 

O número foi visto como extremamente exagerado e alguns desses motoristas serão realocados para outras áreas do governo.

Publicidade
Publicidade

Para as viagens, eram usados 28 carros. Um deles exclusivamente voltado às pedaladas da companheira do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, um furgão. Nele, a bicicleta de Dilma era colocada e transportada. Boa parte desses veículos são alugados e o contrato de aluguel deles estaria para vencer. Agora um novo deve ser implantado e o pagamento deve ser por quilômetro rodado. Isso deve provocar uma enorme economia para o governo, por dois motivos: a maioria dos veículos fica parada, além dos trajetos feitos pelos políticos de carro serem curtos, pois em trajetos mais longos, eles preferem andar de avião. 

A própria Dilma envolveu-se em um polêmica com as aeronaves da Força Aérea Brasileira (FAB), na qual queria viajar para fazer campanha contra o #Impeachment. A justiça até autorizou que Rousseff usasse os aviões militares, mas desde que pagasse por cada centavo que fosse gasto.

Publicidade

Obviamente, ela preferiu procurar uma empresa particular para fazer o serviço. O antigo contrato dos veículos do Palácio do Planalto vence já no dia primeiro de novembro. 

Pelo contrato firmado entre o governo federal e a Brunalto Transportes Ltda, o serviço de carro com motorista é cobrado por quilômetro rodado. Varia de R$ 6,14 para carro popular durante 24 horas a R$ 12,75 para furgão por 16 horas. Os profissionais que os dirigem serão aproveitados.  #PT #Dilma Rousseff