Um dos principais programas sociais criados na era em que o governo estava nas mãos do Partido dos Trabalhadores (PT) foi o 'Bolsa Família'. Para receber o benefício é necessário cumprir vários requisitos, entre eles estar na faixa de renda estipulada pelo governo federal e ter filhos estudando. Apesar de, pelo menos teoricamente, quem recebe a quantia ser carente, muitos dos beneficiários do 'Bolsa Família' fizeram doações para campanhas para os candidatos a prefeito e vereador em todo o Brasil. A informação foi dada com destaque nesta quinta-feira, 22, pelo jornal carioca 'O Globo', e foi obtida através do cruzamento de dados feitos pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Publicidade
Publicidade

Nesse cruzamento, descobriu-se que as campanhas eleitorais tiveram repasse de R$ 16 milhões apenas de pessoas que recebem dinheiro do programa social. Ao descobrir tamanha novidade, muitos eleitores desabafaram e se disseram revoltados pelo que foi revelado. O TSE, por sua vez, fez o protocolo e enviou os dados cruzados para o Ministro presidente da entidade, Gilmar Mendes, e também para Osmar Terra, à frente do Ministério do Desenvolvimento Social. De acordo com o governo federal, o objetivo de analisar os dados é justamente sempre procurar alguma irregularidade diante das doações. 

Ao se fazer isso com quem recebe o 'Bolsa Família', abre-se o precedência da dúvida de como os beneficiários teriam capacidade de doar, quando sobrevivem, pelo menos em parte, com a ajuda do estado.

Publicidade

A atual eleição tem sido complicada para os candidatos. Isso porque empresas ficaram proibidas de realizarem doações. No entanto, nada impede que o dono ou os sócios da mesma empresa o façam. De qualquer forma, o objetivo continua sendo evitar que irregularidades aconteçam no mundo político. 

Mesmo com a crise econômica, os candidatos ao pleito do dia dois de outubro arrecadaram R$ 1,2 bilhão. É como se cada habitante do país desse em média R$ 6 para as campanhas eleitorais. Atualmente, segundo o IBGE, o Brasil tem pouco mais de 204 milhões de pessoas.  #Bolsa Familia #Eleições 2016