Segundo dados obtidos pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), houve um aumento de 25% no número de candidatos que utilizam o título de pastor em seu nome durante as campanhas eleitorais de 2016, em comparação ao ano de 2012. 

De acordo com o portal G1, neste ano 2.759 candidatos estão usando a palavra "pastor" no nome de sua campanha. Outros 15 candidatos usam variações como "pastorzinho" ou "pastorzão". Além desses, 557 mulheres utilizam a palavra 'pastora' em suas campanhas Existe também candidatos que utilizam o termo pastor em referência a outra pessoa, como por exemplo "Raquel do Pastor João" ou "Tiago filho do Pastor Ferreira".

Publicidade
Publicidade

Existem outras alcunhas religiosas sendo utilizadas pelos candidatos a prefeitos e vereadores em todas as cidades do Brasil. Mais de 3 mil candidatos estão registrados como "irmão ou irmã", 194 utilizam o termo "padre" em seu nome de campanha, 63 usam em sua campanha o termo ‘pai’ e 37 'mãe’, referência a pais e mães de santos.Os termos "frei"' e "bispo" são utilizado por 68 candidatos.

Somando todas as referências diretamente ligadas a #Religião chega-se a mais de 6.600 nomes.

Calendário Eleitoral "Eleições 2016"

No dia 10 de novembro do ano de 2015, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) aprovou o calendário das Eleições Municipais de 2016. Foi estabelecido que o primeiro turno irá ocorrer no dia 2 de outubro e o segundo turno no dia 30 de outubro.

No dia 26 de agosto deste ano começou a ser exibida através do rádio e da televisão a propaganda eleitoral gratuita, que ocorrerá até o dia 29 de setembro de 2016.

Publicidade

O eleitor que estiver fora de seu domicílio eleitoral no dia da eleição é obrigado a justificar a ausência de seu voto, indo a um cartório eleitoral ou posto de atendimento ao eleitor em até 60 (sessenta) dias após as eleições.

Igrejas são proibidas de realizar campanhas eleitorais

Apesar das igrejas terem vários candidatos entre os seus membros, o Ministério Público publicou recentemente uma lista de regras para as eleições de 2016, e uma delas alerta que não poderá ser realizado nenhum tipo de propaganda #Política nos templos religiosos. No entanto algumas igrejas de uma maneira ou outra têm desobedecido esta norma. #Eleições 2016