A nova presidente da Corte Suprema, Cármen Lúcia, realizou nesta quarta-feira (14), a sua primeira sessão como presidente. O tema discutido foi sobre o dever de garantir descanso de 15 minutos para as mulheres que fazem hora extra. A ministra Cármen disse que a sociedade é muito preconceituosa e as mulheres são discriminadas a todo momento. "Vejo isso todos os dias", disse a ministra.

Essa observação da presidente foi devido o pedido de vista feito pelo ministro Gilmar Mendes. Segundo Mendes, proteger as mulheres pode acabar gerando mais discriminação. "Hoje as mulheres participam de todas as atividades dos homens, como comandantes de avião, dirigem caminhões, táxis e são policiais", comentou o ministro.

Publicidade
Publicidade

De acordo com a presidente do #STF, essa indagação feita pelo ministro já é um tanto discriminatória. Ninguém fala que tinha um homem sentado aqui em 1828, desde o Supremo Tribunal de Justiça, mas falar que uma mulher conduz boeings e outras coisas, já mostra o quanto surpreende mulheres terem essas ações, ou seja acaba se tornando um preconceito, disse a juíza.

Gilmar Mendes reagiu comentando que existem "autoras femininas não feministas" que consideram as leis trabalhistas discriminatórias. Cármen se irritou e falou que não precisa de dados de literatura e as observações que tem feito são diante da cultura da sociedade e do convívio que ela tem com as mulheres. "Temos que entender que a nossa sociedade é racista e preconceituosa, principalmente com as mulheres", ressaltou a presidente.

Publicidade

Para Cármen esse tema só está sendo abordado devido existir a discriminação, caso contrário, não seriam necessárias nenhuma medida do Judiciário.

Pontualidade

A ministra Cármen Lúcia aproveitou a presença dos ministros e pediu pontualidade nos horários. Quando Ricardo Lewandowski era presidente da Corte, ocorriam muitos atrasos e agora a ministra pediu que isso acabasse. Ela sugeriu mudanças nos hábitos da Corte e comentou que as sessões começarão pontualmente no horário estabelecido. 

Foi mudado também o horário de ir embora, antes os ministros não tinham pausa e iam embora as 17:00hs. Agora, ela pede meia hora de intervalo e que os ministros fiquem até as 18:00hs. #CármenLúcia #GimarMendes