"Casa de ferreiro, espeto de pau" é um antigo ditado popular que poderia se aplicar diretamente a Celso Russomanno, que ao longo de sua carreira defendeu a bandeira dos direitos do consumidor, mas que também é proprietário de uma empresa que atualmente deve ao Procon o valor de R$ 11,9 mil, multa essa que ironicamente é decorrente da violação do CDC - Código de Defesa do Consumidor e ainda deve também ao Estado a quantia de R$ 429 mil ao ICMS - Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços. 

Russomanno que é candidato do PRB pela prefeitura da Cidade de São Paulo, é também o dono da SYS Equipamentos de Tecnologia Ltda., que tinha sido multada desde o ano de 2008 através do Procon-SP por propaganda enganosa.

Publicidade
Publicidade

O Procon é o órgão do Estado responsável por zelar pela defesa do consumidor. Quanto a dívida do ICMS, essa também é de 2008. 

Não faz muito sentido que os assessores do candidato relatem que Celso tenha vendido a empresa sem informe da data específica, até mesmo porque a SYS que foi estabelecida em 2006 na Junta Comercial e na RF - Receita Federal, ainda tem os registros no nome de Russomanno. 

O jornal "O Globo" também veiculou em 20 de agosto que a SYS não foi declarada nos bens de Celso à Justiça Eleitoral, onde o mesmo disse que o ocorrido se deu em função de um “esquecimento" de seu contador e que a declaração seria retificada à Justiça. 

Propaganda tida como enganosa 

O Procon explicou que a fabricante do equipamento conhecido como Airlock era a SYS, garantindo que essa invenção uma vez instalada junto ao hidrômetro das casas, reduziria o consumo de água em até 40%, eliminando o ar das tabulações e impedindo o gás de ser contabilizado como água.

Publicidade

O slogan de Russomanno era o seguinte: “não pague ar por água! Defenda-se, é seu direito, consumidor. Eu testei o Airlock e ele funciona". Mas não existiam indícios técnicos que o Airlock conseguisse fazer isto e o Procon levantou cinco quebras da lei de defesa do consumidor, a saber: 

  • Não há informações técnicas que sustentem o que foi anunciado pela publicidade;
  • A propaganda do Airlock disse que dependendo da região geográfica em que o aparelho fosse colocado, poderia ter uma maior ou menor eficiência, só não revelava quais as condições de uma melhor ou pior performance do Airlock;
  • A propaganda em si falou que o Airlock foi "testado pelo Inadec - Instituto Nacional de Defesa do Consumidor, havendo interesse conflitante nisso, uma vez que o Inadec é uma ONG fundada e dirigida por Russomanno.
  • O Procon fala em "comportamento tolerante em relação a torneiras abertas, banhos demorados, etc", caracterizando a 4ª violação que é o "desrespeito aos valores ambientais";
  • A SYS tem um 5º desvio legal quanto ao produto, pois "deixou de organizar e manter à disposição dos interessados dados técnicos, fáticos e científicos", que fossem base para a campanha publicitária na época. 

A ironia de todo esse imbróglio que lesou os consumidores, foi que os juízes em 2014 arquivaram o processo por meio de um artigo de lei, que suspendeu a execução no fisco até que o paradeiro do proprietário da empresa fosse conhecido ou que o patrimônio dele fosse penhorado

Como já dito, a assessoria do candidato a prefeito, Celso Russomanno, informou que a SYS Equipamentos de Tecnologia tinha sido negociada com a transferência das dívidas existentes para o comprador, ou seja, um verdadeiro presente de grego e a pergunta que resta é: quem mediante a análise da vida pregressa será o novo prefeito da cidade de São Paulo? #Negócios #Corrupção #Eleições 2016