Depois de ser deflagrada, nesta última segunda-feira, dia 5, a operação apelidada pela Polícia Federal (PF) de Greenfield, poderá ser considerada a detentora de uma missão muito mais complexa que a própria Lava Jato. Depois de iniciar uma série de buscas e apreensões e vários mandados, incluindo condução coercitiva, a tarefa expedida pela Justiça deverá reunir dados que poderão revelar um esquema amplo de desvios de valores dos principais #Fundos de pensão em operação no país.

A deflagração da operação juntos aos fundos de pensão

A operação deflagrada nesta segunda-feira,dia 5, teve como como alvo os maiores fundos de pensão das principais empresas estatais do país.

Publicidade
Publicidade

São eles: o Postalis, dos Correios, o Previ (Banco do Brasil), Petros (Petrobras) e o Funcef (Caixa Econômica Federal).  A operação conseguiu apreender cerca de 100 mil dólares e 50 mil euros, ambos, em espécie, além de joias, obras de arte e carros de luxo. Com a decretação foram emitidos quase 150 mandados judiciais, sendo 106 de buscas e 28 de condução coercitiva. 

A operação foi decretada pela Justiça Federal, com a ajuda do Ministério Publico Federal (MPF), da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e a Superintendência Nacional de Previdência Complementar. O objetivo seria investigar se houve fraudes na gestão de tais fundos e, para isso, alguns ex- gestores como Alexej Predtechensky, do Postalis e o empresário Walter Torres tiveram que ser conduzidos coercitivamente para prestarem depoimento na Polícia Federal.  O primeiro está sendo acusado de chefiar um esquema de desvio de dinheiro que pode ter causado um prejuízo de R$ 465 milhões a cofres do fundo de pensão dos funcionários dos Correios.

Publicidade

Somente com o início da operação, a quantidade de elementos recolhidos para a análise de provas foi considerada tão elevada que a expectativa é que, com a decretação das demais fases, novos elementos deverão ser acrescentados e assim ela poderá superar, em  termos de dados, a própria operação Lava Jato coordenada pelo juiz Sérgio Moro. Além disso, o seu desdobramento deverá se voltar também para a classe política, visto que tais investigados tiveram suas indicações chanceladas por tais parlamentares.       #Governo #Corrupção