O governo dos Estados Unidos decidiu quebrar o silêncio sobre o #Impeachment da agora ex-presidente Dilma Rousseff. Durante a abertura da conferência anual do Banco de Desenvolvimento Econômico da América Latina, realizada nesta quarta (7) em Washington, o vice-presidente americano Joe Biden afirmou que a deposição de Dilma foi uma iniciativa popular que seguiu a constituição brasileira. Biden disse ainda que o governo americano confia que terá uma relação frutífera com o presidente #Michel Temer. Biden fez questão de ressaltar que o Brasil cumpriu  "os procedimentos estabelecidos para a transição de poder", ignorando o fato de que esta transição ocorreu sem que houvessem eleições.

Publicidade
Publicidade

Biden foi pivô do início da "separação" de Dilma e Temer

Vale lembrar que logo que o congresso brasileiro começou a tratar o impeachment de Dilma Rousseff como algo real, em 2015, Joe Biden se viu envolvido em uma situação no mínimo exótica. O então vice-presidente Michel Temer usou uma visita de Biden ao Brasil para começar a demarcar seu afastamento de Dilma Rousseff. Em longa carta à Dilma, que se tornou pública, Temer fez uma série de lamentações e críticas à presidente. Umas das críticas se referiu à visita de Biden, a quem Temer chama de "amigo". Temer reclama de uma reunião que Dilma teve com o vice-presidente estadunidense, para a qual não foi convidado. A mágoa se estendeu ainda aos episódios de espionagem envolvendo o Brasil e os Estados Unidos. Temer disse que, nos diálogos que o governo brasileiro teve com os americanos acerca do ataque espião, o "representante" do país, que conversava com Joe Biden, era o ministro da justiça.

Publicidade

"Tudo isso tem significado absoluta falta de confiança", escreveu na carta.

Posição americana destoa da adotada por países sul-americanos

A posição adotada pelo governo estadunidense destoa da adotada por alguns países sul-americanos com quem o Partido dos Trabalhadores mantém boa relação. Assim que o impeachment de Dilma foi confirmado, Venezuela, Bolívia e Equador chamaram de volta a seus países seus respectivos embaixadores no Brasil. A atitude é uma forma comum, na diplomacia mundial, de um país demonstrar insatisfação com as atitudes de uma outra nação.  #EUA