Guido Mantega foi o Ministro da Fazenda que mais tempo permaneceu no cargo. Ele assumiu o posto em 2006 sob o mandato do então presidente Luiz Inácio Lula da Silva, e serviu até 2015, quando Dilma Rousseff começou seu segundo mandato. A #Polícia Federal diz que a corrupção motivou políticas de Mantega e prendeu o ex-ministro esta manhã.

Uma nova etapa da Operação Lava Jato - a longa investigação anti corrupção - foi lançada hoje. Apelidada de "Arquivo X", o alvo principal deste estágio é o empresário Eike Batista, cujas empresas são sempre siglas com a letra X (MMX, LLX, OSX e assim por diante). Foram declarações de Batista à Polícia Federal que motivaram a prisão do ex-ministro das Finanças.

Publicidade
Publicidade

Mantega é acusado de pedir doações para a campanha de reeleição de Dilma Rousseff em troca de contratos com o governo e o perdão das dívidas das empresas. De acordo com Eike Batista, Mantega ordenou doações de US$ 2,35 milhões ligado a uma conta Offshore. Essa reunião supostamente aconteceu em novembro de 2012. O total de contribuições suspeitas é de cerca de US$ 7 milhões. Esta não é a primeira vez que Mantega está envolvido em investigações anti corrupção.

Em maio, agentes federais o levaram para interrogatório. Ele era suspeito de ter participado em outro esquema de corrupção, em que as empresas privadas subornavam membros do governo para evitar o pagamento de impostos e multas. O ex-ministro foi detido em um hospital em companhia de sua esposa que iria se submeter a uma operação de câncer.

Publicidade

Depois de deixar o cargo, ele mal saiu de sua casa, já que foi alvo de hostilidades em restaurantes. Em três episódios, Mantega não conseguiu terminar as suas refeições depois que clientes chegaram a sua mesa para criticar em voz alta sua manipulação da economia brasileira.

A prisão vem na mesma semana em que o ex-presidente Lula foi indiciado por corrupção e lavagem de dinheiro. Se investigadores provarem que as decisões econômicas altamente questionáveis ​​durante as administrações do Partido dos Trabalhadores foram motivadas pela corrupção, poderá ser devastador para as chances do partido em 2018. #Política #Crime