No dia 4 de setembro, o petista e político, Eduardo Suplicy, levou um susto quando participava da manifestação, do Partido dos Trabalhadores, contra o governo do presidente Michel Temer. A manifestação foi em São Paulo capital, na Avenida Paulista logo após o revezamento da tocha Paralimpíca.

Segundo o petista relatou na sua conta do Twitter, se alguém soubesse onde está a carteira que entrasse em contato através do seu e-mail pessoal. Além da organização do evento ter uma decepção no número de pessoas que foram, pois eram esperadas mais de 100 mil pessoas segundo números dos organizadores do evento. Mas parece que o político, além da decepção, perdeu também seus bens materiais.

Publicidade
Publicidade

Ao que parece, estava cartões, dinheiro e documento.

Não é a primeira vez que o ex-senador toma esse tipo de susto, também em 2013, ele teve a carteira furtada em um protesto na capital paulista. Além de se envolver em várias polêmicas dentro dos cenários de protestos, como sair arrastado numa reintegração de posse, em quase cair no metrô da capital e segurar a namorada. Ao que parece, o ex-senador gosta de aventuras.

Eduardo Suplicy também decidiu sair do cargo de Secretário dos Direitos Humanos para se candidatar a vereador pelo Partido dos Trabalhadores - #PT, ao sair, doou todo o seu salário que ganhou como secretário. Foram 12 meses e mais de R$ 179.267,67 para financiar um projeto de renda mínima na cidade de São Paulo, onde, segundo o projeto, prevê rendimentos pagos pelo Estado em forma igualitária e justa, independente da classe social do cidadão.

Publicidade

Ao que parece, o candidato do PT a vereador Eduardo Suplicy, continua bastante fiel ao partido e segue confiante para a eliminação da corrupção, mas aposta em uma nova candidatura dentro do cenário político.

Ao lado do ex-senador no protesto desse domingo, foram o senador Lindbergh Farias do PT do Rio de Janeiro, e o coordenado do Movimento dos Trabalhadores sem Teto (MTST), Guilherme Boulos no caminhão de som do evento. O evento também era em apoio a ex-presidente Dilma Rousseff que sofreu o impeachment no último dia 31 de agosto.  #Dilma Rousseff #Política