Dentre todas as mudanças repentinas que a crise instalada no Brasil proporcionou, uma delas está na opinião das pessoas. Muita gente que era a favor ou contra ao processo de impeachment, sente que hoje a finalidade de tudo era e é o desmanche do Brasil. Esse é o argumento apresentado pela maioria dos internautas que debatem a política no país, onde eles titulam o processo de impeachment como um golpe.

A incontestação política pode ser verificada nos mais simples discursos políticos e até nas mais célebres conjunturas políticas realizadas por estudiosos. Movidos por um ódio inflamado por uma mídia que aparenta-se parcial quanto ao desdobramento político brasileiro, muitos apresentadores já saíram a favor e contra o impeachment em seus programas.

Publicidade
Publicidade

A palavra impeachment até saiu um pouco do vocábulo da mídia brasileira, mas a incontestação com o cenário político não.

Romero Jucá enganou-se quando sugeriu que com a saída de Dilma a Lava Jato estancaria todo o processo de combate de corrupção brasileira. O ex-ministro de Temer esquecera de presumir que a população não aceitarias as mudanças drásticas que o governo do presidente interino vem forçar o país.

Faustão ataca Temer em seu programa: "Essa p... de governo"

Poucos imaginavam que em uma noite de domingo, no programa em horário nobre da TV brasileira, o apresentador Faustão fosse sair em descrédito a Temer. E não foi só contestação, o apresentador chegou a utilizar palavras de baixo calão para adjetivar o atual governo "essa p... de governo", gritou Faustão em seu programa na Globo.

Publicidade

Assista ao vídeo do Faustão criticando o governo Temer

Faustão se irrita com mudanças no ensino médio e ataca Temer

O descontentamento de Faustão surge após o governo de #Michel Temer (PMDB) tentar apresentar uma formulação do ensino médio, onde matérias importantes seriam excluídas da grade comum de ensino. A medida causou comoção em todo o país, e durante a semana, mais uma vez o governo de Michel Temer foi alvo de ataques em toda a rede social. Sem consulta popular alguma, Temer tentou aprovar a exclusão de disciplinas como filosofia, artes e educação física do currículo do ensino médio, mas acabou voltando atrás. #Rede Globo #Fausto Silva