O feriado do dia 7 de setembro pode ser marcado por protestos contra o atual presidente do Brasil, Michel Temer (PMDB). A previsão é de que ao menos 18 capitais vão participar dessas manifestações, conforme a convocação registrada em algumas redes sociais.

Manifestantes querem que Temer saia do poder

Conforme está rodando na internet, a manifestação contra o atual presidente do Brasil pode iniciar hoje (6) à noite. O protesto é para que Michel Temer saia do poder e para que os brasileiros tenham direito a uma nova eleição, sem contar na oposição ao novo governo sobre a agenda econômica.

Em São Paulo já tem alguns eventos organizados, iniciando com o que ocorrerá na Praça Oswaldo Cruz, marcado para esta quarta-feira (7) às 9:00 horas onde os manifestantes irão caminhar pela Avenida Paulista até chegar ao Parque do Ibirapuera.

Publicidade
Publicidade

Já a capital brasileira contará com um ato às 8h30, marcado como ponto de encontro a Catedral Metropolitana. São vários os movimentos contra o atual presidente, onde pessoas se uniram e assinaram a organização em Brasília e a previsão é de que fiquem até a noite. Na Cidade Maravilhosa, os protestos serão contra a emissora Rede Globo, que está na mira de protestos por articular e viabilizar o golpe contra a democracia, no último dia 31.

Além da emissora, a cidade também vai contar com um ato “Fora Temer” que está agendado para as 11h, entre a Rua Uruguaiana e a Avenida Presidente Vargas. Nessa manifestação está programado o grito “verdade, liberdade e independência”, além do povo solicitar uma nova eleição.

Outra manifestação no feriado

Em Brasília também terá uma manifestação, “#Marcha Contra a Corrupção”, que acontecerá na Esplanada.

Publicidade

Quem está organizando é o Movimento Brasil Contra Corrupção, este pede a aprovação emergencial e sem que haja qualquer mudança no projeto das “dez medidas contra a corrupção”, este ainda está em discussão pela comissão especial que acontece na Câmara dos Deputados.

Provavelmente o  tradicional 7 de Setembro será marcado de protestos e manifestações contra o atual Governo. #Dilma Rousseff