Flávio Bolsonaro está concorrendo para a prefeitura do Rio de Janeiro e como prefeito, caso seja eleito, já avisou que tomará medidas para fazer com que a cidade saia do caos financeiro em que se encontra. Usando um sobrenome e peso, o candidato do PSC tem grande força nas próximas eleições, mas também amarga uma forte rejeição por outros eleitores. E ele tem feito um discurso bem parecido com o deu seu pai que conseguiu ser o Deputado Federal com maior número de votos no Rio de Janeiro, onde avisa que não vai mais patrocinar a #Parada Gay, um dos eventos mais importantes atualmente da Cidade Maravilhosa.

Para Flávio Bolsonaro, não é possível que o Rio de Janeiro continue com a #Política adotada por Eduardo Paes, que ele chamou de "toma lá, dá cá" e avisa que se ganhar nas próximas eleições, as mudanças vão acontecer.

Publicidade
Publicidade

Quando questionado se a Parada Gay vai ser proibida, ele avisa que de forma alguma, entretanto não vai mais contar com dinheiro público, já que a cidade conta com diversas outras prioridades. Todos os candidatos sabem muito bem qual é a situação da prefeitura para 2017 e que as coisas serão extremamente difíceis, sendo necessário enxugar a máquina pública.

O filho do Bolsonaro adianta que a população pode até ser questionada sobre o que deve ser beneficiado com as verbas municipais, se é a realização da Parada Gay ou a compra de medicamentos que são distribuídos gratuitamente para as pessoas que precisam cuidar da saúde, mas não têm condições financeiras de adquirirem os remédios. Flávio Bolsonaro ainda garantiu que o evento tem perfeitas condições de se manter sozinho, não sendo preciso do dinheiro público para que ele seja realizado no próximo ano.

Publicidade

O candidato não condena totalmente a gestão de Eduardo Paes e até admite que ele acertou em alguns pontos, mas diz que errou na maioria das vezes, por exemplo, durante os Jogos Olímpicos, os ônibus atenderam perfeitamente a população e passavam em um curto espaço de tempo, mas o Rio de Janeiro pós-Olimpíada conta com uma realidade bem diferente e a população é quem paga.

A ideia de não dar mais dinheiro público para a Parada Gay agrada uns e revolta outros. E você, é contra ou a favor de tal medida? Deixe abaixo sua opinião. #Eleições 2016