O ministro do Supremo Tribunal Federal e presidente do Tribunal Superior Eleitoral, Gilmar Mendes, comentou sobre as investigações da Operação Lava Jato, da Polícia Federal e Ministério Público Federal, que estão sob a alçada do juiz Sérgio Moro, em primeira instância, a partir da sede da Justiça Federal do Paraná, em Curitiba. Mendes foi extremamente elogioso, em relação a todo o trabalho desempenhado pela força-tarefa da Lava Jato, que apura escândalos bilionários de #Corrupção que acarretaram a "sangria" dos cofres públicos da Petrobras, considerada a maior estatal brasileira. O ministro  Gilmar  Mendes afirmou categoricamente que a força-tarefa exerce um trabalho extremamente importante e que precisa ser reconhecido.

Publicidade
Publicidade

Ainda, segundo o magistrado, "já se falou muitas vezes em passar o país a limpo e o que se vê, é que de certa forma, isto está ocorrendo", ressaltou Mendes. Ele declarou ainda que, no sistema empresarial e político brasileiro, podem haver muitas críticas, num processo em que se está tendo todo o conhecimento, porém, ele mesmo assegura que já fez diversas críticas, em relação a determinadas propostas. Entretanto, segundo Mendes, "é algo absolutamente normal".

Denúncia contra o ex-presidente Lula

Gilmar Mendes avaliou que a denúncia que se concretizou por meio da Polícia Federal e Ministério Público Federal, contra o ex-presidente da República, Luiz Inácio #Lula da Silva, em razão de quais crimes poderiam ser imputados a ele, no âmbito da Lava Jato, não é o que se coloca mais importante neste momento.

Publicidade

Mendes foi contundente em afirmar que "o fator positivo, é que houve a apresentação de uma denúncia", sentenciou. Ainda de acordo com as palavras do magistrado, "Se ocorrer de amanhã Lula vier a ser denunciado por crime de organização criminosa, então, será resolvido sob o âmbito do Ministério Público e do Poder Judiciário", concluiu. O magistrado foi enfático ao afirmar que havendo uma denúncia, ela será proferida. Já o que vem além disso, é "mimimi e trololó". O magistrado afirmou ainda que a denúncia poderá ser algo positivo e dá segurança à defesa do ex-presidente.

Já e relação ao processo que corre no TSE, referente às contas de campanha da chapa presidencial de Dilma Rousseff e Michel Temer, não deverão ser julgadas neste ano, já que a análise de provas, assim como depoimentos de testemunhas, deverão conclusivamente ocorrer até o mês de novembro. #STF