Na segunda-feira (26), o ministro do Supremo Tribunal Federal Gilmar Mendes disse não acreditar que o ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, tenha tido acesso a informações vazadas da operação #Lava Jato pela Polícia Federal.

Apesar de considerar que a declaração do ministro do #Governo Temer não tenha sido das mais felizes, o magistrado a vê como semelhante a uma previsão de chuva, passível de grande acerto por tratar-se de um período no qual se chove com mais frequência. Segundo Mendes, uma vez que a Operação Lava Jato está em andamento, não seria difícil prever novas ações que estivessem para acontecer. Desse modo, para o ministro do Supremo, a afirmação de Moraes no último domingo (25) durante campanha eleitoral em Ribeiro Preto, interior de São Paulo, não seria considerada relevante.

Publicidade
Publicidade

De acordo com Gilmar Mendes, uma vez estando submetida apenas à decisão do juiz responsável, a Polícia Federal não teria motivos para dar informações adiantadas ao ministro da Justiça. Segundo ele, quando ocorrem as ações da Lava Jato a Polícia está agindo como órgão da Justiça, na forma de Polícia Judiciária, logo não estaria sob as ordens do Ministério da Justiça.