O governo do presidente Michel Temer, encaminhou para o Congresso Nacional a proposta de orçamento para 2017, onde está previsto cortes de grande escala para os setores da reforma agrária e habitação popular.

O portal de notícias, G1, verificou esses cortes fazendo uma comparação com números do projeto de lei orçamentária encaminhada pela ex-presidente da República Dilma Rousseff no mês de agosto do ano passado, que servem como parâmetro para o orçamento de 2016. Vale ressaltar que, o projeto orçamentário precisa ainda passar pelo Congresso Nacional para ser tornar válido.

Não foram somente a habitação e a reforma agrária que perderam recursos.

Publicidade
Publicidade

Programas como: esporte, recursos hídricos, pesca e agricultura, dentre vários outros sofreram um grande impacto com as novas medidas do novo #Governo.

A proposta do governo de #Michel Temer não está focado somente em cortas recursos, mas também em aumentar repasses para 2017 que visam robustecer o SUS, assim como para a agropecuária sustentável.

Tal proposta de orçamento para o ano de 2017 foi criada com base no teto para gastos públicos, mesmo que o mecanismo não tenha passado ainda pela aprovação do Congresso Nacional. Caso a medida seja aprovada, todas despesas em um ano do governo terá que limitar-se ao índice da inflação do ano anterior. Sendo assim, o governo não poderá gastar no ano que vem (2017) mais do que 7,2%, já que esta é a estimativa para inflação deste ano de 2016.

Previsão para o programa Bolsa Família

O atual governo tem destinado um aumento de recursos para certas áreas, como por exemplo o Bolsa Família.

Publicidade

Um aumento de R$ 990 milhões de reais está previsto na nova proposta de orçamento. Reajuste dos benefícios que foram anunciados pelo governo, impactando para cima, a quantidade de gastos.

Já em algum programas a previsão é de gastos mais altos (acima da inflação). Um bom exemplo é o desenvolvimento da agricultura familiar, onde a previsão foi para R$ 9,72 bilhões em 2017, sendo que em 2016 era de R$ 7,49 bilhões, uma alta de 29,7%. #Bolsa Familia