Os investigadores da força-tarefa da Lava Jato estão se aprofundando para entenderem melhor sobre alguns diálogos ocorridos entre o empresário Marcelo Odebrecht e o ex-ministro Antonio Palocci, que foi preso hoje (26). Nas conversas, eles chegaram a comentar sobre o estádio do Corinthians, o Itaquerão, e sobre a Prosub (Programa Nuclear da Marinha e o de Desenvolvimento de Submarinos).

Conforme investigações da Lava Jato, Palocci ajudou a empresa Odebrecht, mediante acerto de propina. Segundo o delegado da Polícia Federal (PF), Filipe Pace, o ex-ministro era o responsável por interferir em vários projetos, contratos e ações para fazer a Odebrecht ter vantagem em vários quesitos.

Publicidade
Publicidade

E a empresa retribuía Palocci com dinheiro de propina.

A procuradora da República, Laura Gonçalves Tessler, disse que foi constatado 30 encontros entre o ex-ministro e executivos da Odebrecht. "Era uma atuação intensa e reiterada entre eles", ressaltou a procuradora.

Na manhã desta segunda-feira (26), foi deflagrada a Operação Omertà, que prendeu Palocci e dois ex-assessores dele, Branislav Kontic e Juscelino Dourado. Kontic e Dourado ajudaram o ex-ministro nas negociações com Odebrecht. Antonio Palocci foi ministro do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva de 2003 à 2006 e da ex-presidente Dilma Rousseff em 2011.

Defesa

O advogado de Palocci, José Roberto Batochio, disse que seu cliente nunca obteve dinheiro irregular ou vantagens em negociações com a empreiteira Odebrecht e criticou o "autoritarismo" da Lava Jato, de prender alguém antes de ter certeza das provas.

Publicidade

A Odebrecht preferiu não se pronunciar sobre o caso.

Encontros

Segundo a procuradora Tessler, os encontros entre dirigentes da empresa e o ex-ministro aconteceram mesmo depois do início da Operação Lava Jato. O Ministério Público Federal (MPF) comentou que durante a operação, a comunicação dos envolvidos em propinas, foi mais cautelosa, com utilização de dispositivos criptografados.

O que colaborou para que as propinas fossem pagas pela Odebrecht ao ex-ministro e seus ex-assessores, foi a boa relação estabelecida com o #PT. #Crime #Corrupção